Mais de 5% da população européia fez uso de maconha em 2004

Cerca de 28,8 milhões de pessoas, número que representa 5,3% da população total do continente, “fizeram uso indevido de maconha nos últimos 12 meses”, de acordo com o Relatório anual da Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes – Jife, publicado no início do mês em Viena.

A maconha é a droga ilícita mais consumida na Europa e em todas as demais regiões, informou a Jife, entidade subordinada à ONU, acrescentando que seu consumo manteve uma curva ascendente em quase todos os países europeus nos últimos dez anos.

Esta tendência, destaca o relatório, parece estar ligada aos esforços em “promover a idéia de que o consumo de maconha não é prejudicial à saúde”. A Jife destaca o risco que estas campanhas representam, que “destacam mais os supostos possíveis benefícios (da maconha) do que seus riscos”.

Desde 1998 também se adverte na Europa ocidental sobre um aumento persistente do consumo de cocaína, embora agora, aparentemente, este “tenda a se estabilizar”. No leste europeu, o consumo dessa substância está em um nível bem abaixo em relação à Europa ocidental.

No ano passado, entraram na Europa mais de 200 toneladas de cocaína, que chegam à região sobretudo pela Bélgica, Espanha, Holanda e o Reino Unido. Além disso, após três anos sucessivos de colheitas abundantes de papoula no Afeganistão, o tráfico de heroína recuperou algum impulso na Europa. Na maioria dos países do continente, o consumo de heroína se mantém estável, ou tende a diminuir.

Na Federação Russa, ressalta o documento, há mais de um milhão de consumidores de heroína, o que transformou este país no maior mercado de heroína da Europa. Quase 80% da heroína consumida na Europa entra pela rota dos Bálcãs.

Fonte: Agência AFP