O cérebro é um verdadeiro coquetel de emoções (Inácio Marchette)

O cérebro é um verdadeiro coquetel de emoções. As sensações humanas, sejam elas de prazer ou tensão são comandadas pelo órgão, através de neurotransmissores. Depressão, falta de apetite, agressividade, prazer sexual e de drogas são reações explicadas cientificamente.

Um amigo meu costuma definir etimologicamente a palavra droga da seguinte forma d-roga o “d” significa um deus e o “roga” é como se o usuário no momento do uso estivesse rogando por um deus que de alguma forma pudesse aliviar as dores de sua alma. Ao longo destes 20 anos de trabalho, junto aos dependentes químicos e seus familiares, pude constatar que este meu amigo tem muita razão. Vivemos num mundo adicto e numa sociedade bastante neurotizante. A cada dia, buscamos novas compulsões num desejo frenético por aliviar nossas neuroses, e aí, temos uma equação até bastante simples de se entender: dor + comportamento compulsivo = alívio imediato + dor futura. Temos então o começo de um grande problema porque aquele comportamento que hoje nos traz alivio é o mesmo que amanhã vai nos incomodar ainda mais e quanto mais incômodo ele for, maior será a nossa necessidade de repetir o comportamento de alívio.

De forma simplista, deixando de lado os aspectos físicos, emocionais e psíquicos é assim que se estabelece a dependência. Tratar a dependência química, no entanto, não é algo tão simples assim. É necessário ter uma proposta terapêutica, aliada a uma equipe preparada. Propostas que vão desde o tratamento de 1 Dia por mês, com acompanhamento semanal, via telefone, até a realização de teste para detecção do uso de drogas e a internação, que pode ser voluntária ou involuntária. No Centro Terapêutico Viva, procuramos colocar toda a experiência, de mais de 20 anos, de nossa equipe de trabalho à disposição daqueles que buscam resultados terapêuticos efetivos no tratamento de dependência química.

Inácio Marchette
Diretor do Centro Terapêutico Viva