Cigarro e álcool são os vilões do câncer

Os hábitos de vida estão na origem de muitos tumores malignos. Dentre os vilões, o tabaco está relacionado ao desenvolvimento de câncer de laringe, pâncreas, boca, mama, bexiga e esôfago.

A maioria dos casos de câncer (80%), segundo o Instituto Nacional do Câncer – Inca, está relacionada ao meio ambiente, onde se encontra grande número de fatores de risco. Entende-se por ambiente o meio em geral (água, terra e ar), o ambiente ocupacional (indústrias químicas e afins), o ambiente de consumo (alimentos, medicamentos), o ambiente social e cultural (estilo e hábitos de vida).

Dentre os hábitos de vida, quem bebe e fuma corre muitos riscos. Assim como o cigarro, o excesso de álcool está relacionado ao surgimento de câncer porque também interfere nas mutações celulares. Combinado a outros fatores maléficos, o uso abusivo de álcool potencializa o desencadeamento do câncer. Aumenta o risco para tumores da cavidade oral, esôfago e fígado. Isso porque o álcool inibe a absorção das vitamina A, D, E e K, que são protetoras do epitélio. Torna mais fácil a entrada dos carcinógenos que estão no tabaco. A bebida também desencadeia outros comportamentos desregrados, como a má alimentação.

O cigarro é o grande vilão do câncer de pulmão, principal causa de morte por neoplasia maligna em todo o mundo. Quanto maior o tempo de vício, maior o risco da doença. Além de ser associado ao câncer de pulmão, o tabaco também está relacionado ao desenvolvimento de câncer de laringe, nariz, pâncreas, boca, mama, bexiga, esôfago e colo do útero.

O câncer de pulmão é um tumor extremamente agressivo e silencioso. Sintomas como de tosse persistente, asma ou bronquite, falta de fôlego e dor no peito costumam surgir quando já há estágios avançados. A Sociedade Americana de Cancerologia, conforme o Inca, estimou para 1998 cerca de 175 mil mortes por câncer causadas pelo uso do tabaco e mais 19 mil mortes relacionadas ao uso excessivo de álcool, freqüentemente ligado ao uso do tabaco.

Fonte: Jornal O Povo