Relação entre uso de cannabis e idade de início da esquizofrenia

Cannabis Use and Age at Onset of Schizophrenia

American Journal of Psychiatry, Vol 161(3), 501–506, 2004

Veen, Natalie D. M.D.; Selten, Jean-Paul M.D., Ph.D.; van der Tweel, Ingeborg; Feller, Wilma G.; Hoek, Hans W. M.D., Ph.D.; Kahn, René S. M.D., Ph.D.

Introdução

A diferença entre os sexos com relação a idade de início da esquizofrenia é um dos achados mais consistentes em pesquisa. De acordo com um estudo realizado na Alemanha, as mulheres apresentam um início da doença 3 a 4 anos após os homens.

Uma outra variável que parece influenciar o início da doença é o abuso de substâncias psicoativas, principalmente no que diz respeito ao uso do cannabis.
Alguns estudos encontraram que pacientes usuários de substâncias iniciam quadro de esquizofrenia antes que indivíduos não usuários; outro estudo relatou um início mais precoce do transtorno em mulheres usuárias de substâncias, mas o mesmo não foi encontrado em usuários do sexo masculino; outros estudos ainda não encontraram nenhum efeito significativo decorrente do uso da droga. Vale ressaltar que estes estudos foram realizados em amostras de indivíduos hospitalizados e com uma exceção, não fizeram os ajustes necessários para gênero.

O objetivo deste estudo foi avaliar as influências do sexo e do uso do cannabis na idade de início da esquizofrenia em um estudo coorte realizado em uma amostra representativa da população holandesa. Já que a venda e o uso do cannabis não são punidos nos Países Baixos, a informação concedida pelos pacientes e seus familiares têm grandes chances de serem fidedignas.

Método

Seleção de pacientes

Todos os indivíduos, de 15 a 54 anos, residentes na cidade de Hague e que entraram pela primeira vez na vida em contato com um médico por suspeita de transtorno psicótico foram encaminhados para o estudo. A informação de todas as fontes (paciente, informante, prontuário, entre outras) foi usada para fazer um diagnóstico de esquizofrenia de acordo com o DSM-IV.
Cento e trinta e três pacientes foram entrevistados com um questionário para avaliação de sintomas e história do transtorno (Comprehensive Assessment of Symptoms and History) e os informantes foram entrevistados através do instrumento com dados retrospectivos sobre o início do transtorno (Instrument for the Retrospective Assessment of the Onset of Schizophrenia.).
Este estudo incluiu todos os pacientes com diagnóstico de “Transtorno Esquizofrênico” (código 295.xx do DSM-IV, ou seja esquizofrenia, transtorno esquizofreniforme e transtorno esquizoafetivo).

A avaliação do início da esquizofrenia durante o estudo de incidência foi avaliada de acordo com os seguintes critérios:

1) Início da disfunção social e/ou ocupacional, como definido em DSM-IV
2) Primeiro episódio psicótico, isto é, início dos delírios, alucinações, desorganização do discurso e/ou comportamento catatônico
3) O início de sintomas negativos

Dois anos e meio após o primeiro contato, os investigadores realizaram uma nova avaliação diagnóstica. Usando toda a informação disponível, dois psiquiatras fizeram o diagnóstico de acordo com o DSM-IV.

Um total de 110 pacientes (83%) foram avaliados através de uma história detalhada do sintomas. Vinte e três pacientes (17%) recusaram o contato com os investigadores, e as informações sobre o início da doença foram obtidas através de seus médicos. As inconsistências entre as informações concedidas pelo paciente e pelo informante foram discutidas pela equipe.

Avaliação do uso do cannabis

Foram utilizadas informações concedidas pelo paciente, informante e prontuário médico a fim de se determinar se o paciente tinha feito uso de cannabis, com que freqüência e sua relação com o início dos sintomas psicóticos.
Os pacientes que fizeram uso de menos de 4 vezes de cannabis não foram considerados usuários.
Alguns pacientes também tinham feito uso de outras substâncias ilícitas. Dezesseis pacientes (12%) fizeram uso uma vez ou mais de anfetaminas: n = 9; cocaína: n = 12; heroína: n= 1.
Em 13 pacientes, o início do uso do cannabis tinha precedido o início do uso de anfetaminas ou de cocaína por um período médio de 2 anos, e em três casos o uso do cannabis e outras substâncias tinham iniciado simultaneamente.
Quando o cannabis foi usado juntamente a outras substâncias, este foi usado mais freqüentemente do que qualquer outra substância. O uso diário do cannabis ocorreu em 13 de 16 pacientes, e o uso diário de cocaína e de anfetaminas ocorreu respectivamente em dois e em um dos 16 pacientes.
Os pacientes usuários de cannabis iniciaram quadro psicótico mais cedo dos que os que não usaram e os pacientes do sexo masculino tiveram um início dos sintomas psicóticos (primeira evidência de disfunção social e/ou ocupacional, primeiro episódio psicótico, e primeiros sintomas negativos) significativamente mais novos do que as mulheres.
As análises mostraram que o uso do cannabis, mas não o gênero, demonstrou estar associado à idade de início do primeiro surto psicótico: usuários do sexo masculino apresentaram, em média, 6.9 anos a menos na idade de início da doença do que os homens não usuários.
Os resultados deste estudo indicam uma forte associação entre o uso do cannabis e idade de início do primeiro surto psicótico em pacientes do sexo masculino.