ANIVERSÁRIO/POLÍCIA FEDERAL – Em cinco anos, mais de 15 t de drogas

Édio Júnior

O delegado-chefe da Polícia Federal em Marília, Washington da Cunha Menezes: “Para combater estes crimes, temos reforçado o trabalho, principalmente, no setor de inteligência. Os resultados têm sido bastantes significativos. Estamos, hoje, colhendo os frutos e um trabalho iniciado há cerca de três anos”

Ações de combate ao narcotráfico, armamento e contrabando são as prioridades da Polícia Federal em Marília. Para o delegado-chefe, Washington Menezes, região mais crítica é a de Assis. Campanha do Desarmamento conseguiu recolher até agora mais de seis mil armas

Em cinco anos de existência comemorados ontem (12), a Delegacia da Polícia Federal, em Marília, conseguiu retirar de circulação mais de 15 toneladas de diversos tipos de entorpecentes e prender vários traficantes. Com uma estrutura física e pessoal melhorada e um setor de inteligência mais aperfeiçoado, a delegacia se direciona ao trabalho mais persistente de combate ao tráfico de drogas na região mais caótica da região, a de Assis. Ainda neste ano, existe a perspectiva de que a Superintendência de São Paulo destine mais recursos financeiros e de pessoal para o reforço na ação dos federais na região que compreende 59 municípios sob a responsabilidade da delegacia de Marília.

A Polícia Federal em Marília foi fundada no dia 12 de abril de 2000 e foi resultado de uma necessidade de melhorar a distribuição geográfica de delegacias no interior paulista. Nesta ocasião, mais seis unidades foram implantadas em cidades como Sorocaba, Araçatuba, São José dos Campos, por exemplo. “Isso foi feito para melhor combater os crimes de responsabilidade da Polícia Federal e abranger diversas áreas estratégicas e críticas em todo o Estado de São Paulo”, comentou o delegado-chefe da delegacia, Washington da Cunha Menezes. Ele, junto com o delegado Gilberto Pacheco, então delegado-chefe, foi um dos fundadores da delegacia, que na época contava com três agentes, um escrivão e um administrador.

Hoje, a realidade é diferente. Seis delegados fazem parte do efetivo da Polícia Federa, que recebeu ainda mais agentes. Dos 59 municípios sob responsabilidade da delegacia destacam-se, além de Marília: Tupã, Assis e Ourinhos. Todos eles têm Justiça Federal.

“Nossa missão primordial é combater o tráfico de drogas, de armamento e o contrabando. A região mais crítica em termos de tráfico é a de Assis, que funciona como um corredor para distribuir drogas para São Paulo e Rio de Janeiro”, analisou o delegado-chefe. A rota principal utilizada é a rodovia Raposo Tavares (SP 270). As drogas, provenientes do Paraguai a maioria das vezes, passam por Assis, Ourinhos e Paraguaçu Paulista e Cândido Mota.

“Para combater estes crimes, temos reforçado o trabalho, principalmente, no setor de inteligência. Os resultados têm sido bastantes significativos. Estamos, hoje, colhendo os frutos e um trabalho iniciado há cerca de três anos”, afirmou Menezes.

Serviços
Além do combate ao tráfico de drogas, armas e contrabando, a Delegacia da Polícia Federal presta vários tipos de serviços à população e a organizações. Por dia é expedido uma média de 35 passaportes para os mais variados Países. A Delegacia ainda expede Registro e Cadastro de Estrangeiro, com a Carteira de Permanência ou Temporária, fiscaliza as empresas de segurança, agências e postos bancários – em todos os 59 municípios são cerca de mil agências – e ainda é de sua incumbência exclusiva o registro e porte de arma. “Este último serviço é de competência exclusiva da Polícia Federal”, disse Menezes. Ainda segundo o delegado, o passaporte em Marília é expedido no mesmo dia em que é solicitado, facilitando a vida das pessoas que vêm de fora da cidade.

Mais de 6 mil armas
Desde de que foi iniciada a Campanha do Desarmamento em Marília, no dia 17 de março do ano passado, a Polícia Federal em Marília, que idealizou a campanha apoiada por várias entidades, conseguiu arrecadar mais de seis mil armas. O termino da campanha acontece em junho deste ano. Dependendo do tipo de arma entregue, a pessoa receberá uma indenização entre R$ 100 e R$ 300.

“A queda da violência com mortes através de arma de fogo é um fato já constatado. Estatísticas em Marília mostram que já houve uma queda de 50% nas mortes por arma de fogo neste ano. Essa queda deve se refletir em todo o País”, comentou o delegado-chefe da Polícia Federal em Marília.

Evento
Para comemorar os cinco anos de fundação em Marília, a Delegacia da Polícia Federal realizou no final da tarde de ontem uma cerimônia. As principais autoridades civis e militares da cidade estiveram presentes. O superintendente da Polícia Federal em São Paulo, Rodney Loureiro dos Santos, segundo homem na hierarquia no estado, esteve presente no evento.

Fonte: Jornal da Manhã