Comitê Olímpico Internacional pressiona ligas dos Estados Unidos a aceitar código da Agência Mundial

Os esportes profissionais norte-americanos terão que substituir as suspensões de 10 dias por casos de doping por penas mais rígidas para conseguir credibilidade nas ações contra o uso abusivo de drogas, disse nesta quarta-feira, 20/04, o presidente do Comitê Olímpico Internacional – COI, Jaques Rogge.

Rogge contestou as suspensões de 10 dias impostas a dois jogadores de beisebol e pediu a imposição das penas muito mais duras decretadas pela Agência Mundial Antidoping – Wada (sigla em inglês) para casos semelhantes.

“No lado profissional, vemos passos na direção correta, mas eles são muito tímidos e devem ir além disso”, disse Rogge após reunião da mesa diretora do Comitê Olímpico Internacional. “Ver que um jogador pegou suspensão de 10 dias por uso de esteróides enquanto outro, do mesmo país, pega dois anos por uma transfusão de sangue, ou até mesmo por esteróides, mostra duas maneiras distintas de controlar os atletas.”

“Espero que as ligas profissionais sigam o código da Wada. Essa é definitivamente a única forma de conseguir credibilidade nas ações antidoping.”
Pela Wada, uma primeira acusação de doping normalmente resulta em uma punição de dois anos.As novas regras de doping foram criadas após uma denúncia no Congresso norte-americano sobre a política de doping na Major Liga Baseball (Liga Norte-Americana de Beisebol).

O comitê do Congresso está ampliando sua investigação sobre o uso de esteróides para a NBA (basquete), NHL (hóquei no gelo) MLS (futebol), ATP (tênis) além das federações de atletismo e ciclismo.

Rogge agradeceu especificamente ao presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, por declarar-se contra o uso de substâncias proibidas no ano passado. “Acho que o que o presidente dos Estados Unidos disse no ano passado foi muito importante. Vejo um movimento na direção certa nos Estados Unidos.”
Fonte: Reuters