Tenho um sobrinho que está, ao que parece, dependente de crack. Quais são os sintomas que demonstram

Sei que nos casos em que o usuário põe em risco a própria vida, a família pode interná-lo à sua revelia. Não seria o caso?

Dependência química é um padrão de uso geralmente intenso que envolve um descontrole sobre a quantidade ou a freqüência com que se consome álcool ou outras drogas, geralmente com um desejo forte (muitas vezes irresistível) de utilizar a substância. Existem critérios bem definidos para se caracterizar a presença dessa condição.

Esses critérios levam em conta a idéia de que a pessoa que consome drogas não pode ser classificada unicamente em dependente ou não-dependente. Existem padrões individuais de consumo que variam de intensidade e gravidade, fazendo com que não exista um consumo absolutamente isento de riscos. A dependência pode ser originada pelo consumo de qualquer substância que produz sensações prazerosas e sua gravidade é determinada pelo tempo e intensidade do consumo, pelas características individuais do usuário e pelo ambiente sócio-cultural.

Um dos sinas para avaliar a dependência do crack seria a presença de sintomas de abstinência. Estes podem ser: necessidade de utilizar a droga novamente, desgaste físico, prostração e depressão profunda. Contudo, para confirmar o diagnóstico de dependência química é preciso fazer uma avaliação com um profissional especializado.

Há vários motivos que estimulam o indivíduo a procurar ajuda e desejar a mudança. Sentir que a família o pressiona ao tratamento, a chegada de prejuízos sociais (possível perda do emprego, condenação por contravenções penais, perdas afetivas) e clínicos são alguns deles. O tratamento forçado, em algumas ocasiões, pode ser eficaz pois a pressão pode ser fonte de motivação e estimular a mudança. Pacientes que chegam para o tratamento por pressões externas podem acabar percebendo que a abstinência lhes traz ganhos muito maiores que os tinham quando usavam drogas.

Vale lembrar que a internação não é a única forma de tratamento, pelo contrário, pode apenas fazer parte dele. Basicamente, os resultados de uma internação são a melhoria das condições gerais de saúde do paciente (alimentação, sono, etc.), a desintoxicação com supervisão médica, a aplicação de medicamentos para alívio dos sintomas da síndrome de abstinência e a terapia psicológica individual ou grupal. Desintoxicar significa eliminar a droga do organismo e não remover a dependência.
Fonte: Site Álcool e Drogas sem Distorção (www.einstein.br/alcooledrogas)/Programa Álcool e Drogas (PAD) do Hospital Israelita Albert Einstein