ONU: mesmo o uso ocasional da maconha cria elo com mortal ciclo da droga

VIENA, 26 jun (AFP) – A agência antidrogas das Nações Unidas alertou neste domingo, Dia Mundial Antidrogas, que até mesmo o uso ocasional da maconha cria um elo no longo e perigoso ciclo de crime, degradação e terrorismo

“Os elos entre o crime organizado, o tráfico de drogas, o consumo de drogas, o dinheiro das drogas, o tráfico de armas e o terrorismo tornam-se cada vez mais claros”, disse o italiano Antonio Maria Costa, diretor-executivo do Escritório das Nações Unidas contra as Drogas e o Crime (ONUDC, na sigla em inglês).

“Nós sabemos que até mesmo o usuário ocasional de maconha cria um elo com uma cadeia muito mais longa e perigosa”, acrescentou.

Em uma mensagem em ocasião do Dia Mundial Antidrogas, o secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, alertou que embora tenham “nomes exóticos e sedutores, (as drogas) não são mais que um passagem para o beco sem saída”.

Como forma de evitar o consumo, Annan recomendou “o exercício de uma atividade esportiva que seja boa para a saúde e fonte de bem-estar”, assim como a “confiança em nós mesmos”.

As autoridades marcaram o dia com a queima de drogas apreendidas e, no caso da China, com a execução de traficantes condenados.

No Afeganistão, onde a ONU alertou que o tráfico de entorpecentes está minando a frágil segurança do país, oficiais fizeram uma fogueira com quase 60 toneladas de ópio, heroína e haxixe, segundo o general Mohammad Daud, vice-ministro de combate aos entorpecentes.

O Afeganistão é o maior produtor mundial e fornece quase 90% do ópio usado para produzir heroína.

Em Mianmar, segundo produtor mundial da droga, o regime militar usou a data, como faz anualmente, para queimar uma enorme quantidade de ópio, heroína, maconha e metanfetaminas, em uma cerimônia da qual participaram diplomatas e jornalistas estrangeiros.

Na China, ainda condicionada à consciência de que o ópio levou à ruína gerações antecedentes e abriu a porta para os imperialistas estrangeiros, o governo marcou o Dia Mundial Antidrogas com a execução de dezenas de traficantes.

Sediado em Viena, o ONUDC, que publicará seu relatório anual em Estocolmo na próxima quarta-feira, estima que 200 milhões de pessoas sejam usuárias de drogas ilícitas ao redor do mundo, das quais 40 milhões de dólares são viciadas.
Fonte:Último Segundo