Maior parte dos fumantes quer largar o cigarro, mas não sabe como

Cerca de 80,5% dos fumantes desejam parar de fumar. Desses, 18,4% pretendem fazê-lo no próximo mês. Os dados são de uma pesquisa com 800 fumantes de quatro capitais do País: Rio, Recife, São Paulo e Porto Alegre. Os cariocas ficam acima da média quando o desejo é parar de fumar. Entre eles, essa porcentagem atinge 82,3%.

Se o desejo de parar de fumar é comum entre os fumantes, adotar alguma medida para isso é bem mais difícil. Entre os fatores que contribuem para o fracasso do tratamento do tabagismo está a falta de informação sobre as terapias que realmente funcionam. Para levar informação sobre o tratamento do tabagismo à população em geral, a Santa Casa de Misericórdia do Rio lança a campanha “Pare de Fumar numa Boa”, que vai até o dia 11 de setembro.

“Quanto maior a motivação dos indivíduos para deixar de fumar, maior o número de tentativas que já fizeram”, diz a Psiquiatra Analice Gigliotti, Médica no Setor de Dependência Química do Serviço de Psiquiatria da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro, e responsável pela pesquisa. Apesar de 47,3% dos fumantes pesquisados já terem sido advertidos pelo médico de que deveriam largar o cigarro, só 21% deles receberam alguma orientação sobre como fazer isso. A Organização Mundial da Saúde – OMS, reconhece tabagismo como doença a ser tratada com medicamentos.

Campanha “Pare de Fumar numa Boa”

A campanha “Pare de Fumar numa Boa” acontecerá em três locais da cidade do Rio: nos supermercados Extra da Barra da Tijuca e da Tijuca, e no largo da Carioca, no centro da cidade.

Em duas tendas, o público poderá perceber a diferença entre a casa de uma família de fumantes e a de uma família livre do cigarro. Numa terceira tenda, o visitante contará com um Médico de plantão que orientará como o fumante pode parar de fumar, utilizando corretamente a terapia de reposição de nicotina. Quem precisar já receberá do Médico o início do tratamento com gomas de nicotina. A campanha conta com o apoio da Pfizer.

Além de tirar dúvidas, os fumantes poderão medir o nível de monóxido de carbono expelido na respiração. O número de cigarros consumidos tem relação com o nível de monóxido de carbono. Quanto maior a concentração de monóxido de carbono, maior o mal-estar que o fumante sente. A medida indica quanto ele está intoxicado. Por meio de um questionário rápido, o visitante fumante poderá também medir seu grau de dependência.
Fonte:O Dia – RJ