fbpx

ONU: programa contra drogas nas escolas é bom, mas não o suficiente

11:28:43 Redação Gazeta Rádios e Internet
Álvaro Zanotti

Oito de cada dez crimes registrados no Espírito Santo têm ligação direta ou indireta com o tráfico e consumo de drogas. Com base nesse cenário, o Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência (Proerd) vai ser ampliado em 2006 para atender 65 mil crianças, ou seja 15 mil a mais do que atualmente. Na manhã desta quarta-feira, a Polícia Militar apresentou o programa a uma comissão formada por consultores e técnicos da Organização das Nações Unidas (ONU) que está no Estado.

Um dos integrantes do grupo, o consultor Marcelo Carânbula, afirmou que a ONU entende que o Proerd, que ensina mecanismos de proteção social a crianças com idade entre 9 e 12 anos, é um passo para a redução da criminalidade, mas não o único.

Para ele, além do envolvimento das escolas, o Estado deve trabalhar também o fortalecimento das famílias. A ONU já tinha orientado a criação de uma delegacia familiar no Espírito Santo e Carânbula voltou a falar no assunto.

“Teria um impacto por que envolveria o conjunto familiar ao invés de tratar a criança ou a mulher. Trataria todos esses aspectos em um ambiente só, então, facilitaria o fortalecia as relações familiares”, sugeriu.

O coordenador estadual do Proerd, major Leonardo Marchezi, sinalizou que a instalação da delegacia pode vir a acontecer, mas que inicialmente a PM vai estar centrada na prevenção. “A delegacia tem uma papel principal na repressão. É claro que, quando o problema se estabelece, acaba-se indo à delegacia. Mas a idéia inicial é a da prevenção primária”, afirmou.

O Proerd é aplicado em parceria com escolas da rede pública e privada durante 17 semanas em dois bimestres escolares. As aulas ministradas estão organizadas em uma cartilha, com 17 lições de 60 minutos cada. Uma parceria com a CST firmada nesta quarta deve garantir 12 mil kits de material didático para o programa.
Fonte:Gazeta Online