Tabagismo na adolescência continua a preocupar cientistas

Embora os índices que medem o tabagismo na adolescência venham declinando desde 1997, milhares de jovens começam a fumar todos os anos e adquirem um hábito com sérias repercussões sobre a saúde e o bem-estar psicossocial.

Estudos dos riscos psicossociais acumularam evidências de que o estresse, os colegas, as influências familiares, e a depressão servem como fatores de risco para o desenvolvimento e manutenção do tabagismo na adolescência. Fatores de proteção incluem o monitoramento pelos pais, atividades religiosas e fatores sócio-políticos, tais como campanhas de marketing antitabaco.

Um artigo que acaba de ser divulgado pela revista Current Opinion in Pediatrics revela que quase metade dos adolescentes já fumou em algum momento da vida e que 15% deles têm o hábito de fumar todos os dias.

No momento, um grande número de pesquisas são dedicadas à compreensão dos fatores que levam os adolescentes a fumar, buscando desvendar os mecanismos neurobiológicos por trás do tabagismo.

Fonte: American Journal of Preventive Medicine Volume 29, Issue 3 , October 2005, Pages 163-170
Fonte:Bibliomed