Maconha causaria 40% das mortes de jovens no trânsito na França

Quase 40% das pessoas com menos de 30 anos que morreram em acidentes rodoviários na França dirigiam sob os efeitos da maconha, afirma um estudo médico cujos principais resultados foram publicados hoje no jornal Le Parisien.

O percentual dobrou entre 2001 e 2004, de acordo com o relatório apresentado no fim de semana em um congresso médico em Compiégne (ao norte de Paris), que se baseou na análise de dois mil exames.

Entre os mortos ao volante que haviam fumado a Cannabis sativa (nome científico da maconha) – entre 700 e 800 pessoas por ano -, quase três quartos o fizeram uma hora antes do acidente.

Embora o consumo da droga esteja proibido na França, os controles desta substância na estrada são muito pouco: 2 mil em 2003, contra os 9,5 milhões de teste de alcoolemia (ingestão de álcool).

O Governo da França prometeu disseminar, em 2006, os exames de consumo de drogas por meio da saliva. Mas o sistema ainda não é confiável.

Uma pesquisa publicada em maio pelo Observatório Francês das Drogas e Toxicomanias mostrou que 35% dos consumidores “habituais” de maconha entre 15 e 29 anos reconheceram que “com freqüência” pegavam o volante nas quatro horas seguintes ao consumo da droga.

A Missão Interministerial de Luta contra a Droga e a Toxicomania prepara um relatório sobre o tema. A partir das conclusões deste trabalho, a missão fará uma série de recomendações ao Ministério do Trabalho com o objetivo de preparar um projeto de lei que permita realizar o teste de consumo de cannabis em determinadas profissões de risco.
Fonte: Agência EFE