2006: ano de parar de fumar

Emagrecer, cortar ou pintar o cabelo, entrar na academia, aprender a dirigir, fazer terapia, namorar, começar o mestrado, ter um filho, escrever um livro, cuidar mais da saúde, ou parar de fumar. O ritual da passagem de ano inspira as pessoas a lançarem novos desafios e, para quem fuma, é sempre o momento de fazer uma auto-avaliação desse hábito.

Especialistas, no entanto, alertam que períodos de festas com tantas comemorações não são os mais adequados para o dependente parar de fumar. Seguindo pelo calendário, eles acreditam que a data mais promissora para o sucesso do tratamento é após o carnaval, quando finalmente o ano começou e é hora de cumprir as promessas.

Para ter sucesso, o fumante deverá estar atento a outras questões como a da dependência química. Para vencê-la, ele precisa de acompanhamento médico. Segundo a Cardiologista Jaqueline Issa, Diretora do Programa de Tratamento do Tabagismo do Instituto do Coração – Incor do Hospital das Clínicas, a cessação de tabagismo é muito complexa, mas quando é feita com ajuda de um profissional e prescrição médica, as chances de sucesso dobram.

Estatísticas demonstram que o brasileiro só consegue abandonar o cigarro na quarta tentativa. Cerca de 70% dos fumantes desejam parar de fumar, mas apenas 3% conseguem.

Terapia

Entre as opções de medicamentos existe a Terapia de Reposição de Nicotina – TRN que pode ser feita por meio da goma de mascar de nicotina da Pfizer. Indicada para o dependente que está começando a parar de fumar, a goma evita os sintomas da abstinência porque o paciente continuará absorvendo nicotina, durante o tratamento, por meio da mucosa oral.

A terapia se mostra eficiente na maioria dos casos porque é uma opção de estímulo oral e é recomendada para quem identifica o tédio como mais um estímulo para fumar e para quem está preocupado com ganho de peso.
Fonte:eAgora