Altos executivos que fumam ganham menos

O número de executivos fumantes vem caindo nos últimos tempos, conforme mostra a pesquisa do Grupo Catho.

A Contratação, a Demissão e a Carreira dos Executivos Brasileiros – Edição 2005, realizada entre os meses de maio e julho, junto a 31.000 profissionais. Uma outra boa notícia da pesquisa é que 26% dos entrevistados conseguiram deixar o cigarro.

Apenas 13,82% dos respondentes são fumantes. Em 1997, eram 19,59%. Apesar da constatação de que fumar faz mal à saúde, o hábito está mais disseminado entre os executivos que ocupam os cargos mais elevados da escada corporativa. Entre os presidentes e gerentes gerais, 22,76% são fumantes.

Logo atrás se encontram os diretores, com índice de 18,52%. Descendo os degraus na hierarquia da organização, a porcentagem de fumantes cai. Segue uma tabela que mostra a porcentagem de fumantes versus o cargo e o que eles fumam. Nota-se que mais de 90% fumam cigarro.

Um fator que também chama muito a atenção é que os presidentes fumam mais vezes ao dia que os demais: em média, 11,83 vezes por dia. Os diretores aparecem em seguida, fumando 11,26 vezes por dia. Já os profissionais especializados fumam 8,23 vezes por dia.

Dois fatores podem explicar essas diferenças. Primeiro, a idade. Aqueles que carregam o hábito há mais tempo têm mais dificuldades para se livrar dele.

Normalmente, os donos de cargos mais elevados na hierarquia têm mais tempo de carreira. Em segundo lugar, aparece a questão do espaço corporativo. Quem sobe na empresa pode usufruir de salas individuais, nas quais fumar é mais fácil.

Mas tudo isso traz um custo. Uma análise comparativa feita pelos técnicos do Grupo Catho concluiu que os executivos fumantes ganham menos. A diferença é considerável e aparece em todos os níveis hierárquicos. Por exemplo: os diretores que fumam ganham, em média, R$ 707/mês a menos. Entre os gerentes são R$ 298/mês a menos e para o profissional especializado (engenheiro, contador,etc.) são R$ 134/mês a menos.
Fonte: Tabaco Zero