Meio milhão de italianos deixaram de fumar em 2005

Um ano após a entrada em vigor na Itália da proibição de fumar em lugares públicos, cerca de 500 mil pessoas deixaram de fumar e a venda de cigarros caiu 5,7%, segundo um estudo apresentado hoje, 10/01, pelo Ministério da Saúde italiano.

A Lei sobre “a tutela da saúde dos não fumantes”, que entrou em vigor há exatamente um ano, estabelece a proibição total do cigarro em locais públicos, a não ser que estes disponham de espaços específicos sujeitos a normas muito rígidas, o que levou a maioria dos lugares a não permitir o cigarro em suas dependências.

Os dados do Ministério assinalam que, após 12 meses de proibição, o número de fumantes caiu de 26,2% para 25,6%. Com isso, cresceu a proporção de ex-fumantes, que passou de 17,9% para 18,6%, o que significa que cerca de 500 mil pessoas abandonaram a dependência no último ano.

Entre janeiro e novembro de 2005 foi registrada uma redução global de 5,7% na quantidade de cigarros vendidos em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Nove em cada dez italianos concordam com a proibição de fumar, salvo nos locais devidamente condicionados, restrição que 87,3% dos entrevistados dizem respeitar rigorosamente.

O estudo revela que a idade média em que a pessoa acende o primeiro cigarro é de 17 anos e que, na faixa entre 15 e 24 anos, 28,2% dos homens fumam, contra 21% das mulheres. A proporção de fumantes aumenta com a idade: entre os 25 e os 44 anos, 35,9% de homens e 31% de mulheres fumam.
Fonte: Agência EFE