Uso do álcool aumenta a mortalidade em homens

O estudo divulgado pelo boletim da Organização Mundial de Saúde – OMS, mostra um quadro ainda pior para consumidores compulsivos. Ao contrário do que dizem alguns estudos ocidentais, também não foi identificado qualquer benefício com o uso de bebida alcoólica.

Interessados em estabelecer uma relação entre a freqüência de consumo de álcool e a taxa de mortalidade entre homens e mulheres, os Pesquisadores Amanda Nicholson, Martin Bobak e Michael Murphy do University College de Londres, Inglaterra, investigaram 7.172 pessoas na Rússia. Estas forneceram informações sobre idade, estado vital e hábitos de consumo de álcool relativos a 10.475 parentes masculinos e 3.129 femininos.

Segundo artigo publicado no “Boletim da Organização Mundial de Saúde” de novembro de 2005, todas as causas de morte masculina foram relacionadas ao consumo de álcool, tanto ao consumo habitual quanto ao compulsivo. Nicholson e colegas realizaram ajustes necessários quanto ao tabagismo e à data de nascimento e concluíram que “os homens que consomem álcool compulsivamente apresentam maior mortalidade que os consumidores de álcool não compulsivos, e essa diferença persistiu depois de serem ajustados os dados em função de freqüências de consumo de álcool”. Entretanto, nas mulheres “a mortalidade apresentou-se maior apenas no grupo das que bebiam em excesso pelo menos uma vez ao mês”, diz o texto.

De acordo com os Cientistas, “os resultados sugerem uma associação positiva entre o consumo de álcool e a mortalidade na Rússia”. Eles acrescentam que “não há nenhum dado que avalie os efeitos protetores observados nas populações ocidentais”. Além disso, as diferenças de gênero também são importantes, pois embora o “álcool pareça contribuir com as taxas de mortalidade persistentemente altas observadas entre os homens na Rússia, é pouco provável que constitua uma causa importante de mortalidade feminina”, acrescentam.
Fonte: Agência Notisa