Em conferência na Suíça, Organização Mundial da Saúde propõe formas de reduzir consumo de tabaco

Cerca de 200 mil fumantes morrem a cada ano, somente no Brasil, em conseqüência de doenças relacionadas ao efeito do tabaco, segundo dados da Organização Mundial da Saúde – OMS. As mais recorrentes são: câncer do pulmão, doenças do coração, infarto, asma, bronquite e infecções respiratórias.

Para elaborar formas de minimizar o consumo do tabaco, crescente em todo o mundo, a OMS iniciou nesta semana a Conferência contra Tabaco, na Suíça. Na fumaça do tabaco há mais de quatro mil substâncias tóxicas, incluindo a nicotina que causa dependência.

Em entrevista, a Técnica da Divisão de Tabagismo do Instituto Nacional do Câncer – INCA, Vera Colombo, ressaltou a importância dessa conferência internacional, já que o consumo tem prejudicado a população mundial com graves doenças. Ela destacou que não só o Brasil busca formas para diminuir o consumo do tabaco.

Afirmou ser importante que a população “se conscientize dos malefícios da droga e procure melhorar a qualidade de vida”. De acordo com Colombo, há em torno de 25 milhões de fumantes no País.

Segundo ela, o Brasil tem feito um trabalho de prevenção ao fumo voltado para as crianças que já abrange oito mil escolas. O controle do tabagismo, por meio da conscientização e da informação, já reduziu 11% dos fumantes brasileiros. Em 1989, 30% da população fumava, em 2003, o número caiu para 19%. “Proibir o uso do cigarro não adianta nada”, disse ela.
Fonte: Agência Brasil