Senad divulgou serviço telefônico de orientação durante show em Brasília

A Secretaria Nacional Antidrogas – Senad, vinculada ao Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, divulgou durante o show que o DJ inglês Fat boy Slim fez no sábado, dia 18/02, no estádio Mané Garrincha, o serviço de atendimento telefônico Viva Voz – Ligue pra Gente. Por meio do número 0800 510 0015, poderão ser obtidas orientações sobre drogas.

Pela primeira vez o serviço foi levado a uma concentração de público jovem, como forma de difusão de informações sobre a prevenção e o consumo de drogas. Segundo o Secretário Nacional Antidrogas Paulo Roberto Yog de Miranda Uchôa, “foi uma oportunidade de oferecermos um serviço aos nossos jovens, num momento de alegria e descontração”.

O Viva Voz é gratuito e funciona das 8 às 20 horas. Está capacitado a oferecer orientações aos pais, amigos e aos próprios usuários sobre qualquer tipo de droga, e sobre a prevenção. Resultado de parceria da Senad com o Serviço Social da Indústria – Sesi e Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresa – Sebrae do Rio Grande do Sul, além da Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre, o serviço tem a vantagem do “atendimento imediato por profissional especializado, com orientação segura de como familiares, amigos e usuários devem se comportar diante do problema de uso e abuso de drogas”, segundo Uchôa.

O Secretário lembra que muitas vezes os pais não sabem sequer como agir, diante da constatação de que o filho está usando droga. E o Viva Voz pode tirar dúvidas sobre o procedimento: “Uma boa conversa pode ser um bom começo, porque é importante ouvir aconselhamento de uma pessoa capacitada, preparada para informar e levar um primeiro alento e orientação”.

De acordo com o V Levantamento Nacional sobre Consumo de Drogas Psicotrópicas, realizado pela Senad junto a estudantes de ensino médio e fundamental, as drogas mais consumidas pelos jovens são, pela ordem, álcool, tabaco, solventes, energéticos, maconha, tranqüilizantes e anfetaminas.

Diante da constatação de que a maconha, uma droga ilícita, aparece em quinto lugar na lista das mais consumidas, o Governo Federal passou a incluir as chamadas drogas lícitas nas campanhas de prevenção. Segundo o Secretário Uchôa, “o uso e abuso do álcool, cuja venda é liberada, está por trás da maioria dos crimes, dos incidentes domésticos e de acidentes com veículos”.
Fonte: Agência Brasil