Curso formará técnicos para tratamento de dependentes químicos – PI

A Secretaria Estadual da Saúde – Sesapi, por meio da Gerência de Saúde Mental, realiza, a partir desta terça, 21/02, até quinta-feira, 23/02, no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – Cerest, o curso de formação para técnicos que trabalham no tratamento dos dependentes de álcool e de outras drogas.

Destinado a 50 profissionais que trabalham na área de saúde mental com enfoque em tratamento contra álcool e drogas, o curso tem como objetivo capacitar técnicos para trabalharem na área. Para isso, o Psiquiatra Paulo Aranha, técnico do Ministério da Saúde, vai abordar as mais recentes e importantes informações sobre o tema, bem como a Política Nacional de Redução de Danos, estabelecida pelo ministério.

De acordo com a Gerente de Saúde Mental da Sesapi, assistente social Edna Castelo Branco, a política se destaca como uma nova forma de trabalhar com o dependente químico. “A política ressalta que se não é possível manter o usuário de drogas abstêmio, pelo menos deve-se trabalhar para reduzir os malefícios da droga em sua vida”, explica.

Ela ressalta que esse será um dos primeiros cursos direcionados para o trabalho com álcool e outras drogas no Estado do Piauí. “Esse curso de formação é de grande importância, já que o Estado ainda tem muita deficiência com o manejo dessa clientela. Ele vai garantir mais apoio no momento da aborgadem da drogadição”, destaca Edna Castelo Branco.

Apesar de o Piauí não possuir registros do número de alcolistas, a assistente social ressalta que em todo Brasil ainda é grande o número de pacientes que negam a doença. “Maior ainda é o preconceito das pessoas que não entendem que o alcoolismo é uma doença. É difícil saber inclusive quantos pacientes são internados com a doença, já que muitos deles, com medo do preconceito, preferem se internar em alas de psicóticos”, diz.

Ela ainda realça a necessidade da realização de trabalhos direcionados às mulheres e aos adolescentes. “No curso, também serão abordados temas que destaquem o trabalho com as mulheres e adolescentes. Atualmente, é muito comum a doença entre essas pessoas, sendo necessários cuidados especiais”, revela.

Uma das primeiras iniciativas para enfrentar esse tipo de problema já está em funcionamento no Piauí. Por meio dos Centros de Atenção Psicossocial/Álcool e Drogas -Caps/AD, de Teresina e Parnaíba, os pacientes já estão sendo tratados dentro de uma nova concepção. “Os Caps são respostas importantes para esses pacientes à medida que desmistifica o tratamento e o preconceito. Os centros estão habilitados para tratar adultos e adolescentes; o alcoolismo precisa ser tratado como uma questão de saúde pública”, diz Edna Castelo Branco.

O curso será realizado das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas. Irão participar instituições que trabalham com essa temática, entre elas o Hospital do Mocambinho, Caps/AD de Teresina e Floriano, Hospital Areolino de Abreu, Hospital Estadual de União, além de técnicos da Sesapi.
Fonte: Cidade Verde.com