Programa Educacional apresenta relatório das atividades de 2005

Com o objetivo de prevenir e reduzir os índices de criminalidade no Estado por meio de atividades de prevenção à violência e ao uso indevido das drogas, o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência – Proerd apresentou ao comando da Polícia Militar o resultado das atividades exercidas pelo programa durante os 365 dias de 2005.

No ano passado, o Proerd formou um total de 6.112 crianças e adolescentes em todo o Estado de Sergipe, sendo que somente em Aracaju, foram 3.145 crianças das escolas públicas e particulares. No interior, o programa alcançou 2.967 adolescentes de Municípios como Boquim, Itabaiana, Laranjeiras, Nossa senhora do Socorro, São Cristóvão, dentre outros.

O Proerd desenvolve atividades com crianças e adolescentes dos municípios por meio de um sistema educacional com conteúdo programático e métodos que buscam priorizar a moral, os bons costumes, o carinho, a afetividade, a auto-estima e um melhor convívio social, de forma que torne a vida mais agradável e salutar.
A filosofia do programa baseia-se na valorização da vida, e sua aplicação é desencadeada por um policial militar obrigatoriamente fardado, que realiza o trabalho de prevenção às drogas desenvolvendo habilidades na criança que as possibilitem se manterem afastadas das drogas lícitas e ilícitas.

Segundo os dados estatísticos apresentado pelo Proerd, no ano de 2003, 5.913 alunos foram atendidos, sendo que no 1º semestre somente dois Municípios participaram das palestras, e no 2º o número pulou para oito cidades.
Já no ano de 2004, o número de alunos atendidos chegou a 5.974 considerando que sete Municípios foram beneficiados pelo programa. Em 2005, entretanto, o trabalho do Proerd resultou em 6.112 crianças e adolescentes formados, além da inserção de três novos Municípios: Estância, Santa Luzia do Itanhi e Porto da Folha.

De acordo com a Major PM Valéria Tatyane, uma das Coordenadoras do Proerd em Sergipe, o programa prepara a criança para lidar com a ansiedade, estresse, elevar a auto-estima e resistir as pressões dos companheiros e da mídia.

“São passadas noções de cidadania para a prática rotineira do processo de tomada de decisão sobre o uso das drogas”, comentou a oficial.
Para o ano de 2006, os planos do Proerd é ampliar o número de turmas atendidas em cada município para que mais pessoas sejam alcançadas e o índice de criminalidade venha a diminuir.
Fonte: Agência Sergipe de Notícias