Estudo rejeita a idéia de que beber um pouco faz bem

Pesquisadores concluíram na sexta-feira, 31/03 que a idéia de que beber moderadamente previne doenças cardíacas está equivocada. Eles afirmam que muitos estudos incluem abstêmios num grupo de controle, mas não perguntam por que eles não bebem.

Vários estudos respeitáveis concluíram que beber pouco ou moderadamente – até duas doses por dia, regularmente – reduz o risco de doenças cardíacas. Alguns estudos apontaram também redução no risco de alguns tipos de câncer.

Mas uma equipe da Universidade de Victoria (Columbia Britânica, Canadá) e da Universidade da Califórnia, em San Francisco, analisaram 54 estudos e concluíram que apenas sete deles diferenciavam os abstêmios por opção daqueles que haviam parado de beber por razões de saúde.

Portanto, o fato de bebedores moderados morrerem menos que os abstêmios pode se dever ao fato de que muitos no grupo de controle pararam de beber por terem a saúde abalada, e não porque o álcool seja bom para a saúde.

Nos sete estudos que incluíam pessoas que não bebiam álcool havia muito tempo, por opção, não havia diferença na incidência de doenças cardíacas entre os grupos de abstêmios e bebedores.

“A arraigada crença de que beber pouco ou moderadamente protege contra doenças do coração teve grande influência sobre a política para o álcool e para os conselhos dos médicos aos seus pacientes mundo afora”, disse Tim Stockwell, do Centro de Pesquisas de Dependências da Universidade de Victoria.

“Essas conclusões sugerem que é preciso cautela ao recomendar o consumo leve de bebida a abstêmios, pela possibilidade de que isso possa ser mais aparente do que real”, disse ele em nota à imprensa.

Em artigo na revista Addiction Research and Theory, os pesquisadores disseram que futuros estudos devem ser planejados levando em conta a razão pela qual os abstêmios não bebem.

“Sabemos que pessoas mais velhas que bebem um pouco normalmente são mais saudáveis que seus pares que não bebem”, disse Kaye Fillmore, da Escola de Enfermagem da Universidade da Califórnia. “Nossa pesquisa sugere que o consumo leve de bebidas é um sinal de boa saúde, não necessariamente sua causa. Muitas pessoas reduzem a bebida ao ficarem mais velhas por várias razões de saúde.”
Fonte: OBID