fbpx

Colômbia reverá plano antidrogas e pede mais ajuda aos Estados Unidos

A Colômbia anunciou na segunda-feira, 17/04, uma revisão dos programas de erradicação da folha de coca e pediu aos Estados Unidos – EUA que substituam os aviões usados para fumigar o cultivo, três dias depois de Washington relatar um aumento na área de produção ilegal.

Os Estados Unidos, principais aliados da Colômbia no controle às drogas, disseram na sexta-feira, 14/04, que pela primeira vez em cinco anos aumentou a área cultivada com coca, matéria-prima da cocaína — de 114 mil hectares no final de 2004 para 144 mil em 2005.

“Estamos pedindo aos EUA que haja mais rapidez para substituir as aeronaves que, por algumas circunstâncias, foram atingidas por terroristas, por acidentes ou danos mecânicos, deixando de prestar o serviço”, disse o Presidente da Colômbia, Álvaro Uribe.

“Estamos revendo todo o plano de controle de cultivos ilícitos com a polícia”, afirmou Uribe, que atribuiu o aumento da área cultivada à inclusão de novas zonas na medição feita pelos EUA.

Em 2005, segundo a polícia, a Colômbia destruiu 169.929 hectares de coca, sendo 30 mil de forma manual e o resto pela fumigação aérea com glifosato.

“A área não diminui com a velocidade que queríamos, e sou um inconformado com o tema. Precisamos acelerar a cooperação norte-americana e reduzir as áreas de coca com mais velocidade”, disse Uribe, candidato à reeleição em maio.

A Colômbia é o maior produtor mundial de cocaína — cerca de 430 toneladas por ano. Desde 2000, Washington entregou a Bogotá cerca de 4 bilhões de dólares para o controle das drogas e grupos rebeldes.

“É um problema muito grave encontrar tanta coca, os governos não podem ocultar os problemas, têm de buscar soluções”, disse o Presidente.

Seus principais adversários na corrida eleitoral, Horacio Serpa e Carlos Gaviria, questionaram as ações antidrogas na Colômbia.

“Fracassou a política sobre drogas. Não é novidade. Há nove anos se vem comentando. Mas nesta oportunidade é o próprio governo dos Estados Unidos que informou sobre o aumento dos cultivos ilegais”, disse Serpa.

Já Gaviria sugeriu a possibilidade de descriminalizar o tráfico e o consumo de drogas. “Em curto prazo, é preciso realizar uma substituição de cultivos ilícitos por cultivos lícitos, mas rentáveis. A Colômbia deve começar a propor a necessidade de discutir a criminalização da distribuição e do consumo”.Autor:R e u ters
Fonte: OBID