fbpx

Prevenção ao uso de drogas é tema de curso no Paraná

Técnicos da Coordenadoria Estadual Antidrogas – CEAD, estiveram ontem,27/07, em Campo Mourão reunidos com representantes dos municípios da região para desenvolver a interiorização das políticas estaduais de prevenção ao uso indevido de drogas lícitas e ilícitas. O programa, denominado Prointer, é organizado pelo Governo do Estado do Paraná, em parceria com as associações de municípios. O evento ocorreu das 8h às 17h, na sede da Comunidade de Municípios da Região de Campo Mourão, Microregião xii – Comcam.

Segundo a Coordenadora Estadual do Programa Antidrogas, Sonia Alice Felde Maia, o objetivo do Prointer é integrar a comunidade paranaense em uma ação permanente de prevenção e educação para uma vida saudável. Durante palestra aos representantes de vários conselhos regionais ligados redução de demanda das drogas, ele explicou sobre os principais malefícios, especialmente das drogas lícitas, como o cigarro e a bebida.

“Queremos sensibilizar as lideranças dos municípios, fornecendo modelos e estratégias de ações que possibilitem a implementação de políticas de intervenção comunitária, estimulando a criação ou reativação de conselhos municipais antidrogas”, explicou Sonia, acrescentando que um decreto estadual já instituiu a inclusão do tema nas disciplinas afins nas escolas no Paraná.

Além da Coordenadora, que ministrou palestras sobre “Prevenção ao Uso Indevido de Drogas” e “Cidadania Plena”, também o Secretário Executivo do CEAD, Jônatas Davis de Paula discorreu sobre “Políticas Públicas” e “Sistema Estadual Antidrogas”.

Álcool – No que diz respeito às drogas lícitas, Sonia enfatizou os malefícios causados pelo consumo de álcool. Para tentar amenizar o problema, o Prointer sugere no âmbito dos municípios campanhas de conscientização, criação de políticas de restrição do acesso ao álcool, como maior fiscalização a motoristas que dirigem embriagados, bem como políticas que visem estimular a responsabilidade em servir bebidas, com ênfase ao problema do menor de idade.

Entre as medidas propostas para Organização Mundial de Saúde – OMS para controlar o produto estão o aumento de preço, proibição de propagandas, proibição da comercialização nas proximidades das escolas, licença especial para vender bebida alcoólica, entre outros. Na microrregião, os municípios de Campo Mourão, Mamborê e Luiziana já adotaram a “Lei Seca” como forma de restringir o consumo de álcool nas madrugadas.
Fonte: Tribuna do Interior