Hospital São Pedro abre 30 leitos para dependentes químicos – RS

Nesta segunda-feira, 31/07, a Secretaria Estadual da Saúde – SES do Rio Grande do Sul abriu 30 leitos no Hospital Psiquiátrico São Pedro – HPSP para tratamento de dependência química, em Porto Alegre. Em 2002, os 30 leitos do HPSP para tratamento dessa enfermidade tinham sido transferidos para o Hospital Vila Nova. O Diretor da Coordenação dos Hospitais da SES/RS, César Paim, assegura que esses leitos serão destinados exclusivamente para dependentes químicos em fase aguda. A área que agora será colocada à disposição da população foi totalmente reformada pelo Estado.

De acordo com o Diretor do HPSP, Roberto Lieberknecht, 88 municípios vinculados às 1ª, 2ª e 18ª Coordenadorias Regionais de Saúde – CRSs, com sede em Porto Alegre e Osório, poderão encaminhar dependentes químicos para a triagem do hospital, que funciona 24 horas e é realizada por médicos psiquiatras e clínicos gerais. “A averiguação dos pacientes é feita para diagnosticar a gravidade da dependência e avaliar se há necessidade de internação para desintoxicação – processo que leva no mínimo 7 dias – em ambiente protegido, que propicie motivação à abstinência e tratamento externo”, explica Lieberknecht.

O Diretor do HPSP garante que a instituição está abastecida com todos os recursos necessários para um bom atendimento. A ala do São Pedro destinada ao tratamento desses pacientes, além dos 30 leitos, possui quatro consultórios, sala de convivência com televisão, mesa de pingue-pongue para entretenimento, oficinas de reabilitação, criatividade, costura, horta, salão de beleza, reciclagem e teatro. Além da área para atividades de terapia ocupacional, e da sala de procedimentos de enfermagem equipada com medicamentos e desfibrilador.

A equipe que oferece assistência aos pacientes do hospital é composta por profissionais com as mais diversas especialidades: psiquiatra, psicólogo, neurologista, traumatologista, terapeuta, farmacêutico, endocrinologista, ginecologista, infectologista, foniatra, dentista, assistente social, terapeuta ocupacional, entre outros. Lieberknecht sustenta que “a dedicação e o empenho de todos os funcionários foram fundamentais na reforma da nova unidade”.

A Coordenadora da Seção de Saúde Mental da SES/RS, Patrícia Domingues, assegura que o Rio Grande do Sul possui 76 Centros de Atenção Psicossocial – CAPS e mais de 15 em fase de cadastramento, que tratam a dependência química em pacientes crônicos e em crises. “Além dos CAPS, o Estado está equipado com 104 ambulatórios especializados em saúde mental”, afirma Patrícia.
Fonte:Secretaria da Saúde