Risco de artrite reumatóide aumenta em mulheres que fumam

O estudo divulgado pela revista Annals of the Rheumatic Diseases realizado por cientistas da Divisão de Reumatologia da Universidade da Califórnia, analisou 115 mulheres que já tinham tido a menopausa e que sofriam de artrite reumatóide e outras 466 sem a enfermidade. A investigação incidiu sobre a idade em que as mulheres começaram a fumar, quando haviam parado e quantos cigarros eram fumados por dia.

A artrite reumatóide é uma doença inflamatória crônica, na qual o próprio sistema imunológico do paciente ataca o revestimento das articulações. O fator desencadeador da doença é a interação dos genes com o ambiente.

Segundo os investigadores, os resultados mostraram que o consumo de cigarros duplica as possibilidades de desenvolver a artrite reumatóide nas mulheres que não herdaram o gene HLA-DRB1 SE – predisposição genética da doença. Entre as mulheres que tinham o fator genético, a exposição ao fumo do cigarro não estava relacionado com o aumento da doença.

“Este é mais um dos efeitos negativos do consumo do tabaco, além das suas conseqüências cancerígenas”, considerou Lindsay Criswell, que dirigiu o estudo.

Os autores ressalvaram ainda que o estudo apenas incluiu mulheres brancas de idade avançada, pelo qual não ficou provado que os mesmos efeitos se verifiquem em outros grupos de idade e comunidades étnicas diferentes.
Autor: Diário Digital
Fonte: OBID