Consumo excessivo de álcool pode causar a pancreatite

Responsável pela produção de insulina, enzimas digestivas e glucagon, o pâncreas é uma glândula de extrema importância para a digestão dos alimentos. De formato triangular e com 15 cm de comprimento, esse órgão pode ocasionar a pancreatite se sofrer inflamação.

Doença que ocasiona fortes dores abdominais, muitas vezes seguida de náuseas e vômitos, dor de cabeça e nos olhos, pode ser do tipo aguda ou crônica. Ambas podem ser ocasionadas pelo aparecimento do cálculo na vesícula – pedra na vesícula, que passa pelo canal da bile – colédoco – e chega ao pâncreas causando a inflamação; ou pelo excessivo consumo do álcool, que representa 80% dos casos nos países desenvolvidos.

O diagnóstico é feito pelas medidas de níveis de enzimas da glândula no sangue quando estão elevados. E é por meio do exame de sangue, da ecografia abdominal (ultra-sonografia) e do raio-X do abdômen que se pode confirmar a suspeita clínica da doença e também a melhor maneira para o tratamento, que em casos leves, um simples jejum, soros e analgésicos resolvem. Porém, no estágio avançado da doença, medicações especiais, antibióticos e cuidados específicos podem ser necessários.

De acordo com o Cirurgião Geral Álvaro Ferraz, os adultos jovens, idosos e pessoas do sexo feminino são os portadores mais comuns da pancreatite. A Fonoaudióloga Verônica Ferreira da Rocha, recentemente descobriu que é portadora da doença. Atualmente faz tratamento à base de medicamento e dieta. “Meu tratamento foi com um antibiótico, que tomei durante 14 dias, e por meio de uma dieta sem gordura e temperos, refrigerantes e condimentos. Como parte do tratamento, terei que voltar ao médico para fazer uma nova avaliação do estágio da doença”. Os especialistas mais indicados para esse tipo de doença são os gastroenterologistas, sejam eles cirurgiões ou clínicos.

Na presença de infecção comprovada, o tratamento cirúrgico é indicado. Porém, o cirurgião alerta: “A realização da cirurgia em uma pancreatite sem infecção pode contaminar a cavidade abdominal e comprometer fatalmente a evolução clínica do paciente”. Se o paciente originou a doença devido a uma pedra na vesícula, o portador deve retirá-la e nunca mais contrairá a doença. Se a causa foi devido ao uso do álcool, a pessoa se cura. Mas se voltar a beber, a doença pode ser contraída novamente.

A prevenção da pancreatite é simples, deve-se evitar os fatores causadores, ou seja a bebida álcoolica, alimentos gordurosos e alguns tipos de medicamentos.
Autor: UOL
Fonte: OBID