Cenas com cigarros são cortadas de desenhos animados clássicos

A Turner Broadcasting começou a vasculhar mais de 1.500 desenhos animados clássicos de Hanna-Barbera, em que se incluem os sempre favoritos “Tom e Jerry”, “Os Flintstones” e “Scooby-Doo”, para cortar cenas que mostram o ato de fumar com glamour.

A revisão foi motivada por uma queixa feita à Office Communications – Ofcom, organização britânica que regulamenta a mídia, depois de um espectador ter reagido mal a dois episódios de “Tom e Jerry” exibidos no canal Boomerang, pertencente à Turner Broadcasting, que, por sua vez, pertence à Time Warner Inc. “Estamos revendo o catálogo inteiro”, disse na segunda-feira a porta-voz da Turner na Europa, Yinka Akindele. “É uma medida que estamos adotando voluntariamente, em vista da mudança dos tempos”, disse ela, acrescentando que a revisão trabalhosa foi motivada pela queixa à Ofcom.

O boletim mais recente do órgão regulador disse que o espectador, que não foi identificado, reclamou de duas cenas com cigarros em “Tom e Jerry”, que considerou inapropriadas num desenho animado voltado ao público infantil. No primeiro episódio mencionado, “Texas Tom”, o gato Tom, para impressionar uma gata, enrola, acende e fuma um cigarro usando uma mão só. No segundo, “Tennis Chumps”, o adversário de Tom numa partida de tênis fuma um charuto.

A Ofcom disse que “a licenciada se propôs a cortar quaisquer cenas ou referências em que o fumo parece ser aceito, aceitável ou glamouroso ou onde possa induzir os espectadores à imitação”. De acordo com a representante da Turner, não serão necessariamente cortadas cenas em que um vilão seja mostrado fumando cigarros ou charutos. “Esses desenhos animados são históricos; eles foram feitos há mais de 50 anos, numa época e um lugar diferentes”, disse ela. “Nosso público é formado por crianças, e não queremos ser irresponsáveis.”

Cerca de 56% do público do canal Boomerang tem entre 4 e 14 anos de idade. Não é a primeira vez que um famoso personagem de desenho animado é obrigado a parar de fumar. O cartunista belga Maurice de Bevere substituiu por uma folha de grama o cigarro que seu personagem mais popular, “Luky Luke”, não tirava da boca, o que lhe valeu um prêmio da Organização Mundial da Saúde – OMS em 1988.
Autor: UOL Últimas Notícias
Fonte: OBID