Mapa da Polícia Federal mostra mudança no consumo de drogas

Agentes da Coordenação Geral de Polícia de Repressão a Entorpecentes – CGPRE, do Departamento da Polícia Federal – DPF, unidade central de repressão às drogas no País, fizeram um mapa das apreensões de drogas no Brasil desde 1995. O mapa mostra que o consumo de drogas está mudando, e um exemplo são as crescentes apreensões de drogas sintéticas, como o êxtase. Em 1995 não constava nas estatísticas da Polícia Federal uma única apreensão de êxtase em todo o território nacional. Em 2005 foram apreendidos no País mais de 52 mil comprimidos.

Atualmente o tráfico de drogas sintéticas é o que mais preocupa as autoridades federais. Para os policiais que analisam os números, a busca de recursos para adquirir êxtase – uma droga considerada cara – pode explicar o aumento do envolvimento de jovens da classe média alta com o crime.

Outra descoberta da PF foi a presença das chamadas drogas pesadas nas recentes apreensões. Muito consumido nos anos 70, o LSD e a heroína – que praticamente não apareciam nas estatísticas de dez anos atrás – estão de volta ao mercado brasileiro em grande quantidade. Enquanto em 1995 a presença de LSD e heroína nas estatísticas era insignificante, em 2005 a Polícia Federal apreendeu 927 pontos de LSD e 13,5 quilos de heroína. Em 1995 foram recolhidos seis quilos de haxixe e em 2005 as apreensões pularam para 94,7 quilos.

Entre 1995 e 2005, a Polícia Federal recolheu do tráfico nada menos que 143 toneladas de cocaína pura e mais de mil toneladas de maconha. O levantamento da PF revelou que entre 2000 e 2005 a quantidade de cocaína e maconha disponível na Região Sudeste despencou e passou a faltar nos pontos de venda. Em 2000 foram apreendidas cerca de 25 toneladas de cocaína e 121 toneladas de maconha nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. Em 2005, a PF apreendeu apenas quatro toneladas de cocaína e 17 toneladas de maconha no Sudeste.
Autor: Sítio Pernambuco.com
Fonte: OBID