Mais de 15 milhões de estadunidenses abusam de substâncias psicoativas

O abuso de medicamentos controlados aumenta entre os adolescentes estadunidenses

Segundo o novo relatório elaborado pelo Centro Nacional para a Dependência e Abuso de Drogas – CASA (sigla em inglês) da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, lançado em 2005, o número de americanos que abusam de drogas de prescrição controlada quase dobrou, passando de 7,8 milhões para 15,1 milhões entre os anos de 1992 a 2003. O abuso dessas substâncias por adolescentes mais do que triplicou durante esse mesmo período.

“Por baixo dos panos: o desvio e abuso de medicamentos controlados nos Estados Unidos”, título do relatório de 214 páginas, detalhou as descobertas de um estudo exaustivo de três anos sobre a prescrição de opióides (como OxyContin e Vicodin), depressores do Sistema Nervoso Central – SNC (como Valium e Xanax) e estimulantes do sistema nervoso central (como Ritalina e Adderall). Foi descoberto que, de 1992 a 2003, enquanto a população dos Estados Unidos aumentou em 14%, o número de adolescentes com idade entre 12 a 17 anos que abusam de medicamentos controlados aumentou 212%, e o número de adultos maiores de 18 que abusam dessas mesmas drogas aumentou 81%.

Os 15,1 milhões de americanos que abusam de medicamentos de uso controlado excedem o número de pessoas que abusam de cocaína (5,9 milhões), alucinógenos (4 milhões), inalantes (2,1 milhões) e heroína (0,3 milhões) juntos.

“Nossa nação está sofrendo com a epidemia de abuso e dependência de medicamentos de uso controlado” disse Joseph A. Califano Jr., Presidente do CASA e Ex-Secretário de Saúde, Educação e Bem-estar dos Estados Unidos. “Enquanto os Estado Unidos têm se vangloriado de ter contido a tendência de aumento do abuso de álcool e drogas ilícitas e de diminuir o fumo entre adolescentes, o abuso de medicamentos de uso controlado tem aumentado de forma discreta, porém preocupante”.

Principais descobertas da pesquisa:

• De 1992 até 2002, o número de receitas emitidas para medicamentos de uso controlado aumentou mais de 150%, quase 12 vezes mais do que o aumento da população e quase três vezes mais do que o aumento de todos os outros remédios receitados;

• De 1992 a 2003, o número de pessoas que abusam de medicamentos de uso controlado aumentou sete vezes mais rápido do que o aumento da população americana;

• De 1992 a 2003, o abuso de medicamentos de uso controlado cresceu duas vezes mais do que o abuso de maconha, cinco vezes mais que o de cocaína e 60 vezes o de heroína;

• De 1992 a 2000, o número de novos casos de abuso de opióides aumentou em 225%; enquanto aumentou em 150% os novos casos de abuso de tranqüilizantes; em 125% para os novos casos de abuso de sedativos; e mais de 170% para novos casos de abuso de estimulantes.

• De 1992 a 2002, o aumento de novos casos de abuso entre adolescentes (de 12 a 17 anos) foi muito maior que entre adultos (quatro vezes maior para opióides; três vezes maior para tranqüilizantes e sedativos; duas vezes e meia maior para estimulantes).

• De 1992 a 2002, o abuso de medicamentos opióides receitados entre adolescentes de 12 a 17 anos aumentou 542%, ou seja, mais de quatro vezes o aumento entre adultos.

• Em 2003, 2,3 milhões de adolescentes entre 12 e 17 anos (aproximadamente um entre 10) fizeram uso abusivo de pelo menos um medicamento de uso controlado; em 83% dos casos, a medicação era um opióide.

• Em 2003, entre adolescentes de 12 a 17 anos, as garotas apresentaram maior risco para o uso de medicamentos controlados do que os garotos (10,1% das garotas contra 8,6% dos garotos).

• Entre 1991 e 2003, a taxa de uso na vida de esteróides, entre estudantes do ensino médio, aumentou 126%; o aumento entre as meninas foi de aproximadamente 350%, e entre os meninos 66%.

• Adolescentes que fazem uso de medicamentos controlados são duas vezes mais propícios ao uso de álcool, em cinco vezes ao uso de maconha, em 12 vezes ao uso de heroína, em 15 vezes ao uso de êxtase e em 21 vezes ao uso de cocaína; comparados com adolescentes que não usam tais medicamentos.

Muitas fontes de desvio

Medicamentos de uso controlado podem ser desviados do seu propósito médico legal para o uso ilícito de laboratórios, distribuidores, armazéns, farmácias, hospitais, consultórios médicos e armários de medicamentos de pacientes. Na pesquisa realizada pelo CASA em 2004, a maioria dos médicos (59,1%) e farmacêuticos (51,8%) culpam os pacientes, que podem obter medicamentos fingindo sintomas que são tratados com opióides, depressores e estimulantes, visitando vários médicos para obter prescrições de cada um ou alterando as receitas. Para as crianças, o acesso a remédios de uso controlado com o propósito de desvio muitas vezes é feito simplesmente abrindo o armário de remédios guardados em casa.

Disponibilidade na Internet

Em 2004, o CASA e Beau Dietl & Associates– BDA (sigla em inglês) investigaram a disponibilidade de medicamentos de uso controlado na Internet e descobriram centenas de sítios oferecendo essas substâncias sem requerer receita médica ou considerar a idade do comprador. A BDA descobriu que somente 6% dos sítios exigia prescrição médica, e na prática nenhum restringia de forma alguma a venda dos medicamentos para crianças.

Um ano depois, em 2005, a BDA repetiu a investigação e descobriu que pouco havia mudado. De fato, mais sítios em 2005 ofereciam opióides e um grande percentual indicaram que as drogas seriam embarcadas de dentro dos Estados Unidos. A BDA conduziu uma análise semelhante com esteróides e descobriu que 95% dos sítios que vendem essas drogas não requerem prescrição médica. “Qualquer um com cartão de crédito e acesso a Internet pode obter essas drogas perigosas”, apontou Beau Dietl, Presidente e Executivo Chefe da BDA.

Conseqüências do Abuso

O relatório do CASA analisou dados de serviços de emergência e confirmou o preocupante aumento de abuso de substâncias controladas e suas conseqüências.

• Em 2002, os medicamentos de uso controlado estavam envolvidas em 29,9% das mortes relatadas em serviços de emergência. Opióides estavam associados a 18,9% dessas mortes, comparado a 15,2% para a cocaína, 12,6% para heroína e 2,6% para maconha.

• Em 2002, o abuso de medicamentos de uso controlado estava relacionado a pelo menos 23% dos casos de uso drogas admitidos em serviços de emergência.

• Entre 1994 e 2002 a admissão em serviços de emergência pelo uso de medicamentos controlados aumentou 80%, os relatos do uso de opióides aumentaram 168%, muito maior do que os aumentos de heroína (48%) e os da cocaína (39%), só perdendo para os aumentos dos relatos de uso de maconha que foi de 198%.

Abordagem abrangente se faz necessária

Como resultado de seus achados, o relatório do CASA alerta para a necessidade do desenvolvimento de esforços em todas a frentes para reduzir o abuso de medicamentos de uso controlado, incluindo campanhas de saúde pública para educação e prevenção; melhor capacitação de médicos, farmacêuticos e outros profissionais da saúde; novas Leis e melhor fiscalização para fechar sítios na Internet que comercializam medicamentos controlados; esforços da Administração de Alimentos e Drogas e companhias farmacêuticas para reformular medicamentos controlados e dificultar o seu abuso, assim como melhorar a qualidade dos tratamentos especializados e realizar pesquisas adicionais.

O relatório do CASA , “Por debaixo dos panos: o desvio e abuso de medicamentos de uso controlado nos Estados Unidos”, é resultado de três anos de intenso trabalho, incluindo um mapeamento de médicos e farmacêuticos, mais de 200 entrevistas, sete grupos focais, uma conferência nacional sobre abuso de substâncias e controle da dor, uma análise extensa e sem precedentes de 15 bases de dados nacionais realizada pelo Centro de Análise de Dados sobre Abuso Drogas do CASA – SADAC (sigla em inglês), uma investigação na Internet realizada pela Beau Dietl & Associates e uma revisão de mais de duas mil publicações. O CASA usou os dados mais recentes, que variam de uma base de dados nacionais para outra.
Autor: Diário OBID
Fonte: OBID