Cem mortos e mais de 2.500 doentes por álcool adulterado na Rússia

Mais de 2.500 pessoas ficaram doentes e cem morreram nas últimas semanas na Rússia após terem consumido álcool adulterado, informaram fontes locais na ultima quinta-feira, 26/10.

“Mais de 400 pessoas da região de Pskov sofrem de um tipo de hepatite tóxica não contagiosa e foram hospitalizadas durante as últimas três semanas”, declarou Serguei Nikoforov, Chefe dos Médicos da Região, após destacar que o envenenamento maciço pode ter ocorrido devido ao consumo de bebidas alcoólicas.

Segundo o governo local de Pskov, para o qual a maioria dos afetados é de pessoas sem residência fixa, a causa do envenenamento seria álcool adulterado vendido ilegalmente. A administração decretou estado de emergência, o que permitiu à polícia e às autoridades sanitárias fazer inspeções surpresas nos locais onde se vende álcool.

Em Belgorod, no sul do país, 912 pessoas foram envenenadas, das quais 44 morreram pelo mesmo motivo, segundo fontes governamentais citadas pela agência Itar-Tass.

Na região de Irkutsk – Sibéria oriental, 559 pessoas pediram ajuda médica nas últimas semanas, das quais 19 faleceram. Atualmente, 470 pessoas estão hospitalizadas com uma variação de hepatite tóxica.

Outras seis pessoas morreram e 186 ficaram doentes na região de Perm – Urais, enquanto em Murom, 80 deram entrada no hospital. Em setembro, as autoridades regionais de Belgorod e Rjev anunciaram que mais de 500 pessoas ficaram doentes e 17 morreram após o consumo de álcool adulterado.

Segundo números oficiais, 42.000 russos morrem anualmente por envenenamento causado pelo consumo de álcool adulterado.
Autor: Uol Notícias
Fonte: OBID