Dependência do fumo, uma droga!

Estudos recentes descobriram que fumar é a causa de 1/3 de todas as mortes por câncer e de 25% de todos os ataques cardíacos fatais nos EUA. Na realidade, muitas doenças degenerativas estão diretamente ligadas ao fumo, tais como câncer de pulmão, bronquite crônica, cardiopatias, enfisema, câncer de boca e da laringe, câncer do intestino e bexiga, angina, úlcera péptica, etc. Câncer dos lábios, laringe, esôfago e faringes estão relacionados ao hábito de mascar o tabaco.

Cigarros são o fator etiológico de 17,2% de todas as mortes nos USA a cada ano. 85% dos cânceres de pulmão estão relacionados ao fumo, e 80% das mortes por doença obstrutiva pulmonar crônica são o resultado direto de fumar.

A Associação Americana do Pulmão informa que 350.000 americanos morrem a cada ano pelo fumo. Isto é mais que a soma das mortes por uso de outras drogas, inclusive o álcool, acidentes de trânsito, suicídio e homicídio.

Está provado que fumar é mortal. Se você fuma, você estará encurtando a sua vida por pelo menos 10 a 15 anos. Por exemplo: 40% dos grandes fumantes morrem antes dos 60 anos.

Em termos psicológicos, fumar é considerado uma forma de suicídio. O fumante sabe dos riscos de fumar e continua fumando.

Os ingredientes que formam o cigarro deveriam ser um sinal de alerta para o fumante ou pelo menos devem tornar o fumante mais consciente dos perigos do hábito. Além de conter 4700 substâncias tóxicas, a fumaça do tabaco contém nicotina, monóxido de carbono, substâncias cancerígenas irritantes para a mucosa do aparelho respiratório e dependência química.

Embora a nicotina seja estimulante, em doses muito altas ela atua como depressora do SNC. A nicotina faz o coração bombear o sangue mais rápido, aumentando a possibilidade de doença cardíaca e embora os fumantes aleguem que fumar relaxa-os, a nicotina, na verdade, causa palpitações e uma sensação generalizada de ansiedade. Ela tem ação vasoconstrictora e é a primeira causa de hipertensão nos USA.

Já o monóxido de carbono quando combinado com a hemoglobina do organismo impede o transporte de oxigênio para os tecidos. O monóxido de carbono também predispõe o depósito de colesterol na parede das artérias (estes dois fatores aumentam o risco de doença cardíaca e acidentes vasculares cerebrais) e hipertensão arterial.

Um composto hidrogenado do cianeto, causa bronquite por inflamar as células dos brônquios, impedindo o movimento dos cílios que revestem os mesmos e que atuam como elementos de proteção e limpeza.

Pesquisas têm revelado que a nicotina funciona como a heroína, cocaína e álcool.

De fato, numa pesquisa feita, a nicotina foi administrada por via venosa a voluntários, sendo que a maioria deles não pôde diferenciar entre os efeitos da nicotina e da heroína. O FDA considera a nicotina como droga que causa dependência química. Os sintomas relacionados à abstinência do cigarro são irritabilidade, depressão, ansiedade, tosse produtiva, dores de estómago e dores de cabeça. Estes sintomas geralmente não duram mais que algumas semanas.

Fumar impõe sérios riscos às mulheres, tais como: menopausa precoce, pois os químicos tóxicos do tabaco afetam diretamente às células que produzem hormônios nos ovários, risco muito maior de osteoporose pré e pós-menopausa, e aumentam em muito o risco de câncer de pulmão. Assim como a possibilidade de todos os tumores ginecológicos, como o de colo do útero, endométrio e principalmente câncer de mama. As mulheres que fumam são menos férteis e têm mais complicações no decorrer das gestações, como abortos espontâneos, partos prematuros. Os bebês são de baixo peso e apresentam mais riscos do que os daquelas não fumantes.

Os homens fumantes de longa data apresentam com maior freqüência problemas relacionados à potência sexual, em decorrência da lesão vascular e incidência maior de tumores malignos de próstata.

Em ambos os sexos, aumenta nos fumantes o risco de câncer de bexiga.

Dra. Odilza Vital – Jan. 30th 12:00pm
Fonte:Comunidade News