Polícia Militar está de olho nas escolas

Aumentar a segurança nas escolas de Belo Horizonte e dar mais tranqüilidade a pais, alunos e moradores do entorno. Esse é o objetivo do programa De olho na escola , implementado pela Polícia Militar para prevenção contra as drogas e a criminalidade, orientação e educação nas comunidades. O projeto-piloto teve início ontem com a operação Volta às aulas com segurança , marcada pelo lançamento oficial das 24 Patrulhas de Segurança Escolar, e contará ainda com os militares que desenvolvem o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd).

Queremos compromissos públicos da comunidade escolar, dos moradores do entorno e dos comerciantes. A idéia vem do Olho Vivo, tecnologia que substitui as pessoas no sentido da percepção. Não vamos transformar BH numa cidade de câmeras, por isso, é preciso as pessoas olharem e perceberem o que ocorre na escola, ficar de olho na estrutura, no ambiente, no filho, no ensino e no lazer e, e em caso de suspeita, ligar para o 190 ou para o disque-denúncia, no 0800-300 190 , afirma o tenente-coronel Rogério Andrade, do Comando de Policiamento da Capital (CPC).

Os policiais que participam do Proerd vão passar por reciclagem para aprofundar a coordenação das atividades de prevenção e educação. A PM vai promover encontros com a comunidade e, onde houver necessidade, os comandantes das unidades de policiamento também vão se reunir para uma orientação mais específica. Segundo o tenente-coronel, o projeto será ampliado com a parceria da Secretaria de Estado de Educação. Serão produzidos cartazes e folders para sensibilizar a população da importância da vigilância. Vamos investir no processo educativo a médio e longo prazo, com a participação de cada um. Qualidade no ensino implica segurança também e ela não é feita apenas pela polícia , diz o policial.

As ações de proteção foram intensificadas e têm como meta alcançar todas as escolas da capital este mês. Os policiais especializados na segurança escolar começaram o patrulhamento preventivo, a distribuição de dicas de segurança e a visitação nas escolas, onde manterão contato com a direção, professores, alunos e pais e continuarão ainda as atividades do Proerd. Uma vez por semana, durante 10 semanas, militares dão aulas para alunos da 4ª e 6ª séries do ensino fundamental das redes pública e particular, em um trabalho de prevenção, que faz os estudantes refletirem sobre as drogas.

Em 2005, 44.247 alunos se formaram em BH, em 453 escolas. Em 2006, foram 45.798 alunos do programa e 437 escolas atendidas. No fim do semestre, eles têm uma cerimônia, na qual recebem um certificado declarando que prometem ficar longe das drogas.
Fonte: Junia Oliveira – DIÁRIO DA TARDE-MG