Blumenau tem 5 mil usuários de crack

A conversa recém-inicia e a mãe desaba em lágrimas. O choro representa o desespero de quem luta incansavelmente para libertar o filho das drogas. Júnior* tem 23 anos e é dependente de crack. Chegou a vender um terreno que ganhou de herança no valor de R$ 50 mil para satisfazer o vício. O dinheiro foi gasto com a droga em menos de dois meses. A família de classe média alta precisou tirar todos os bens do nome do garoto para que a situação não se repetisse.

– Não vou entregar meu filho para a morte. Já passei muito medo. Cheguei a entrar em casa de traficante para tirá-lo de lá. Jamais vou desistir de tentar salvá-lo – afirma a mãe.

Júnior é um dos 5 mil usuários de crack em Blumenau, de acordo com dados do Conselho Municipal de Entorpecentes (Comen). Só no ano passado, a Central de Polícia apreendeu 25 mil pedras da droga.

Cada pedra geralmente pesa 0,2 grama e é vendida por R$ 10. As áreas de maior incidência são os bairros Velha, Itoupavazinha e o Distrito do Garcia.

– A droga do momento é o crack. O efeito é muito mais rápido comparado a outras drogas – resume o coordenador da Central de Polícia, Waldir Padilha.
– O consumo tem se alastrado na cidade de forma avassaladora. O alto poder aquisitivo da região favorece – aponta o gerente de Apoio ao Comen, Mauro Medeiros.

O Comen também relaciona o crescente consumo da droga a outros fatores. Na opinião do responsável pela entidade, a juventude precisa mudar o estilo de vida que prioriza a busca pelo prazer desenfreado e imediato.

Segundo ele, apesar de a droga ser encontrada com mais facilidade na periferia, o problema da dependência do crack já chegou aos condomínios de luxo da cidade. Júnior é exemplo disso.
Autor: Diário Catarinense/SC
Fonte: OBID