A relação do consumo de álcool com a violência urbana, conjugal e doméstica é mais freqüente do que se imagina

Artigos publicados no website do CISA, revelam como o consumo do álcool pode estar interligado às diversas facetas da violência, seja ela urbana ou doméstica e como o assunto ganha peso entre os cientistas que tratam da questão. A violência familiar, associada ao consumo de bebidas alcoólicas e de outras drogas também está sendo avaliada mais profundamente no Brasil.

Levantamento domiciliar do governo federal, envolvendo 27 municípios do Estado de São Paulo, em 2372 domicílios que responderam ao questionário, ao menos uma situação de violência foi mencionada em 31,6% (749 domicílios). Dentre esses, 52,7% disseram que as situações de violência o autor da agressão estava embriagado e 9,7% com o autor intoxicado por outra droga. O álcool prevaleceu em quase todos os tipos de violência estudados, exceto furtos, para os quais a associação com uso de cocaína foi freqüente e predominaram agressores adultos e do sexo masculino. A principal relação de violência foi verificada entre casais, mas com freqüente envolvimento de outros moradores do domicílio, como filhos, pais e irmãos.

A violência conjugal tem sido vista como um problema sério por mais de 20 anos. Nos Estados Unidos, foi identificada como um dos maiores problemas de saúde pública. Os estudos divergem sobre o fato de a associação existente entre consumo de álcool e violência ser uma relação de causa-efeito ou se essa ligação é intermediada por outras variáveis. Se, por um lado, há um consenso que os cônjuges masculinos com comportamentos violentos são geralmente consumidores abusivos de álcool e que o consumo “pesado” e freqüente de bebidas alcoólicas acompanha o comportamento violento, por outro lado, há forte discordância quanto ao fato de o consumo de bebidas alcoólicas desempenhar qualquer relação causal com a violência conjugal.

Resultados de um levantamento feito nos EUA demonstraram que cerca de 12% desse tipo de violência ocorre tanto partindo de homens contra mulheres como de mulheres contra homens. Esse estudo examinou a associação entre a bebida alcoólica e a violência doméstica em alguns casais americanos.

De acordo com o resultado de trabalhos já realizados e publicados em revistas científicas internacionais, bem como por organismos que abordam o tema, a relação do álcool com a violência é conhecida há tempos. Vários estudos sugerem que quanto maior o consumo de álcool, há mais relatos de violência associados ao seu uso. Entretanto, esta relação é muito complexa e não pode ser restrita a uma causa única e simples. Há mais de 50 possíveis explicações para justificar a relação entre álcool e agressão, o que reforça a natureza complexa e multifatorial desta correlação.
Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool