Estudo avalia o ´beber pesado´ em estudantes de medicina

O consumo excessivo do álcool e o comportamento de beber pesado nos adolescentes e em adultos jovens oferece importante risco no comportamento destes indivíduos pois aumenta a probabilidade de problemas de saúde, dirigir bêbado, comportamento agressivo,sexo desprotegido e doenças sexualmente transmissíveis, acidentes, entre outros.

Beber pesado durante a adolescência e início da fase adulta prediz problemas futuros relacionados ao álcool e dificuldades escolares em determinados grupos.

Beber pesado é altamente prevalente entre estudantes do ensino médio e superior, incluindo em estudantes de Medicina. Para alguns estudantes de Medicina, o consumo de álcool parece funcionar como uma maneira de lidar com o stress da instrução médica.

A interação entre beber pesado, uso de maconha e tabaco é bem conhecida na adolescência, esse padrão de comportamento continua em no início da vida adulta e também parece ser prevalente em estudantes de medicina.

Mesmo que haja poucos estudos sobre este tema em estudantes de medicina, os dados indicam que o consumo do álcool aumenta da escola médica até o início da carreira profissional.

Mesmo se estudos recentes indicassem que o consumo do álcool e os problemas a ele relacionados são menores em médicos do que na população geral, um subgrupo que sofreria das menores e principais disfunções relacionadas ao álcool.

Entre os construtos relacionados ao beber pesado está a percepção individual das normas sociais assim como as atitudes relacionadas ao beber. Os pesquisadores propuseram que as percepções errôneas sobre as normas sociais relacionadas ao beber pesado podem contribuir para o desenvolvimento ou manutenção do comportamento problemático decorrente do uso do álcool.

Muitos estudos descobriram que universitários superestimaram o nível de beber pesado pelos pares, mas nenhum estudo documentou este fenômeno entre estudantes médicos.

Diversos construtos tem sido identificados como correspondentes ou preditores do beber pesado, entre eles estão os prós e os contras relacionados ao beber e a tentação para beber em diversas situações.

Estes construtos são parte integrante do Modelo Transteórico de Mudança que descreve mecanismos de mudança do comportamento e serve como base teórica para intervenções de sucesso para diversos comportamentos de risco à saúde, incluindo o comportamento de beber.

Dois estudos realizados na Alemanha relataram um consumo mais elevado de álcool em estudantes alemães comparados aos estudantes americanos, e as taxas do beber pesado (definidas como cinco ou mais doses de bebidas alcoólicas em uma ocasião no mês anterior) foram de aproximadamente em 47%.

Nenhum dado especificamente relacionado ao uso abusivo de álcool por estudantes de medicina alemães foi publicado. Os estudantes de medicina são um grupo especial devido a sua futura atuação na área da saúde e como exemplo de uma vida saudável para seus pacientes. Adicionalmente, a percepção do médico sobre a importância da prevenção nos cuidados da saúde parece estar ligada a seu próprio cuidado.

Assim sendo, mais informações sobre a associação entre o beber pesado e comportamentos ligados a ele são necessárias para compreensão deste grupo. O estudo desta semana tem como objetivos:
1. Avaliar padrões de beber pesado em estudantes médicos alemães.
2. Analisar como as normas e as atitudes sociais relacionadas ao beber interagem com os padrões de beber pesado.
3. Verificar de que maneira o beber pesado está relacionado a padrões do comportamento do risco à saúde.

Foram coletamos em Marburg, Alemanha, dados de uma amostra de estudantes do primeiro ano de medicina. Dos 340 estudantes de primeiro ano, 271 (80%) responderam um questionário que incluía a avaliação de diversos parâmetros relacionados ao consumo do álcool (número de dias da semana em que o estudante bebeu; número de doses de bebidas alcoólicas consumidas em uma única ocasião; número máximo de doses de álcool consumidas em uma única ocasião durante os 30 dias precedentes; o número das ocasiões em que o indivíduo bebeu 4 ou mais,cinco ou oito doses de álcool durante as 2 semanas precedentes e durante o ano anterior; mudanças no padrão de beber; número de dias em que ficou embriagado; ocasiões relacionadas ao beber pesado).

A dependência e o abuso de álcool foram avaliadas através das escalas Alcohol dependency was screened with the Lübeck Alcohol Dependence and Abuse Scale (LAST), CAGE e MAST. Beber pesado foi definido como o consumo de 4 ou mais doses de bebidas alcoólicas para mulheres (aproximadamente 56g de álcool) e cinco ou mais doses de bebidas alcoólicas para homens (aproximadamente 70g de álcool) em uma única ocasião no 12 dias antecedentes ao estudo. Os estudantes foram categorizados de acordo com o seu comportamento de beber pesado e, portanto divididos em três grupos:
1. Os que não bebem pesado.
2. Os que bebem pesado esporadicamente.
3. Os que bebem pesado freqüentemente. Este último foi identificado como grupo problema.
Finalmente a idade, as condições de moradia (se moravam em república ou com os pais) e amizades foram analisados.

Os resultados deste estudo mostraram que o beber pesado em estudantes de medicina alemães indicaram foi altamente prevalente. Mais de 50% dos estudantes que consumiam álcool o faziam de maneira “pesada”.No geral, os estudantes homens bebem mais do que as mulheres, (50% dos homens bebem pesado a mais do que as mulheres). Estudantes que vivem em república foram considerados de modo significativo mais bebedores pesados do que outros em outras situações de moradia.

Os indivíduos que bebem pesado com mais freqüência relataram uma tentação mais elevada para o consumo, o que confirma a importância de variáveis cognitivas (relacionadas à atitude de beber) para tal comportamento nesta população.

Geralmente os estudantes subestimam a ocorrência de beber pesado o que indica uma percepção liberal das normas sociais relacionadas a este padrão de beber, porém este comportamento tem sido identificado como um preditor importante para o comportamento de risco relacionado ao beber.

O “beber pesado freqüente” este relacionado a outros comportamentos negativos da saúde (uso de tabaco, maconha, consumo insuficiente de frutas e vegetais).

Assim como na Alemanha, estudos realizados nos Estados Unidos e Inglaterra, mostram que beber pesado é mais prevalente nos estudantes alemães do que nos estudantes americanos e ingleses.

Comparados à população geral Alemã, os estudantes médicos masculinos relataram aproximadamente o mesmo número de episódios de beber pesado por ano (15.1) que a população masculina adulta (14.3), visto que a taxa para as estudantes médicas femininas (12.4) foi três vezes mais alta do que na população feminina geral (4.0).

Os autores enfatizam que o beber pesado entre estudantes não foi reconhecido como um problema nas universidades alemãs. Se estes resultados forem confirmados em estudos futuros então estará claro que mais atenção deverá ser dispensada a este grupo de estudantes visto as implicações sociais que tal comportamento pode acarretar.

Conseqüentemente, os estudantes de medicina devem ser incentivados a refletir ativamente sobre seu próprio comportamento e sobre ser papel futuro na promoção de saúde. A instrução sobre o abuso do álcool e drogas deve receber mais atenção no currículo médico. As escolas e as universidades de medicina alemãs devem considerar e executar políticas detalhadas de prevenção do álcool como tem sido sugerido os Estados Unidos e Reino Unido. Estas políticas, entretanto, terão que ser adaptadas às circunstâncias alemãs. Por exemplo, a idade legal para uso de bebidas alcoólicas é mais baixa na Alemanha (16 anos) do que no Reino Unido (18 anos) ou nos EUA (21anos). Evitar que bebidas alcoólicas sejam facilmente acessíveis (por exemplo, em lanchonetes estudantis). As políticas de prevenção ao uso abusivo do álcool podem encontrar uma aceitação mais elevada se focalizarem mais na instrução desses alunos sobre os prejuízos do beber pesado do que em estratégias mais restritivas.

Se as descobertas deste estudo forem confirmadas, a instrução deve dirigir-se às normas sociais assimiladas pelos estudantes como atitudes favoráveis associadas ao beber pesado e ao risco potencial de uma combinação com outros comportamentos facilitadores do beber pesado como situação de moradia, uso de tabaco e maconha.

Estudos futuros devem focar mais detalhadamente na relação do beber pesado a outros comportamentos da saúde, nas conseqüências adversas e no múltiplo risco que os estudantes se expõe, nas atitudes dos estudantes em face ao beber pesado, na prontidão para parar/ reduzir comportamentos de uso abusivo do álcool e outros comportamentos de risco a saúde, nas diferenças entre estudantes de países e etnias diversas e nos processos que aumentam a probabilidade do risco na mudança do comportamento.

Addictive Behaviors, Volume 32, Issue 3 , 2007, Pages 505-515

Keller S,
Maddock JE,
Laforge RG,
Velicer WF,
Basler HD.

Fonte:Site Álcool e Drogas sem Distorção (www.einstein.br/alcooledrogas)/Programa Álcool e Drogas (PAD) do Hospital Israelita Albert Einstein