Quatro em cada dez estudantes de escolas públicas experimentam tabaco

O uso do cigarro está presente no cotidiano dos jovens de baixa renda. É o que revelou a dissertação de mestrado de Maristela Prado Silva, apresentada no Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Mato Grosso.

Graduada em Fisioterapia pela Universidade de Cuiabá – Unic e especialista em “Fisioterapia em Pneumologia” pela Universidade Federal de São Paulo – Unifesp, Maristela desenvolveu o trabalho “Fatores Associados à Iniciação do Tabagismo em Adolescentes de Escolas Públicas e Privadas de Cuiabá”. “Procurei levar as instituições de ensino fundamental e médio da cidade a elaborar uma prevenção de caráter educativo neste sentido” explica Maristela.

A pesquisa feita para a dissertação de mestrado revelou que a experimentação do tabagismo está presente em 38,5% dos jovens de escolas públicas e 19,5% nas escolas privadas. Para atingir estes dados, foram escolhidas duas instituições que ofertam ensino fundamental e médio na capital e analisado 2.883 alunos com idades que variam de 12 a 16 anos.

“A experimentação precoce do tabagismo está associado à baixa escolaridade e renda da família, jovens que contam com pais separados, os que estão na condição de alunos reprovados e aos que tem amigos e irmãos mais velhos fumantes. O que mais me surpreendeu e até mesmo os examinadores, foi à faixa etária dos usuários” acrescenta Maristela.

A apresentação desta dissertação de mestrado foi pioneira em Mato Grosso e obteve nota 10 conforme análise da banca examinadora composta pelos membros da Universidade Federal de Mato Grosso – Ufmt.
Autor: Olhar Direto On-Line
Fonte: OBID