O uso de drogas e sua relação com a busca por sensações novas e intensas

O constructo busca de sensação começou a ser estudado na década de 70 e se “refere à necessidade de viver experiências complexas e de novidades, apenas pelo desejo de afrontar riscos físicos e sociais, com o intuito de satisfazer suas necessidades pessoais”. Mais recentemente, a concepção do construto foi reelaborada em função de novas descobertas no campo da pesquisa dos traços de personalidade. Nesta nova concepção, a busca de sensações deve ser compreendida como parte do processo de socialização e ligada a novidade e intensidade das sensações e tem sido utilizada para compreender os comportamentos permeadores da delinqüência, bem como a predisposição a adição de drogas lícitas e ilícitas.

Artigo publicado pelo sítio www.psicologia.com.pt, em 2006, procurou avaliar a relação entre o uso potencial de drogas e a busca por “sensações” novas e intensas em jovens. A amostra foi constituída por 218 universitários de ambos os sexos, com idades entre 18 e 27 anos de duas Universidades: Centro Luterano de Palmas – TO e a Universidade Federal do Tocantins – TO.

A coleta de dados deu-se por meio da aplicação de um questionário composto pelos seguintes instrumentos: “POSIT-The Problem Oriented Screening for Teenagers”, que serve para avaliar a potencialidade do consumo futuro de bebidas alcoólicas e outras drogas por meio de sete critérios: potencial consumo de álcool e maconha, delinqüência juvenil compartilhada, desequilíbrio emocional, conduta anti-social, dificuldade no relacionamento com os pais, dificuldades na aprendizagem e trabalho e desempenho; e o Inventário de Busca de Sensação, uma escala composta por 21 itens que se referem à busca por intensidade e novidade na estimulação dos sentidos.

Os resultados evidenciaram que o potencial consumo de álcool e maconha, a delinqüência juvenil compartilhada, o desequilíbrio emocional e a conduta anti-social correlacionam-se com a busca de sensação a novidade e intensidade. O somatório total do uso potencial de drogas também apresentou escores correlacionais positivos com busca de sensação.

Os autores discutiram no artigo que o uso de drogas não pode ser compreendido apenas por meio de explicações focadas no indivíduo. “Uma maior busca de sensação, provavelmente influenciará o jovem a um maior uso de álcool e maconha, bem como, na aproximação de pares de iguais capazes de inseri-los em ambientes que facilitam o uso dessas substâncias”. Enfatizaram, também, que quanto mais intensa é a característica de busca de sensações intensas e novas maior a probabilidade do indivíduo possuir uma conduta anti-social e delituosa.

Os pesquisadores concluíram que focalizar a atenção sobre a busca de sensação pode contribuir, no futuro, para a identificação de eventos que influenciem o comportamento adicto e assim viabilizem o desenvolvimento de ações preditivas e interventivas, como orientação e programas sócio-educativos e clínicos que promovam a conscientização dos riscos. Salientam a importância da reaplicação desse estudo por meio de um instrumento que aborde algumas variáveis como hábitos de lazer, adição de drogas, personalidade e identificação com os pares sociais e correlacione-as a potencialidade ao uso de drogas.

Texto resumido pelo OBID a partir do original publicado pelo sítio www.psicologia.com.pt, Portugal, 2006.