Dos mortos no trânsito em Goiânia, 27% são jovens

Pesquisa divulgada em 23/04 revela pela primeira vez o perfil do jovem no trânsito e demonstra comportamentos inadequados que os transformam ao mesmo tempo em vítimas e algozes. Goiânia ocupa a primeira colocação no ranking das capitais com as maiores taxas de mortes de jovens por acidentes. Entre os mortos no trânsito da capital em 2006, 27,40% tinham menos de 24 anos.

O levantamento do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística – Ibope, feito a pedido da Volvo do Brasil, Perkons – empresa que desenvolve equipamentos de fiscalização eletrônica de trânsito -, Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Sbot, ouviu mil jovens em 66 cidades brasileiras com mais de 300 mil habitantes. Goiânia, pelo alto índice de acidentes envolvendo jovens, participou também da etapa qualitativa da pesquisa, ao lado das capitais São Paulo e Porto Alegre. Em Goiânia, é elevado, por exemplo, o número de jovens que dirigem mesmo sem ter habilitação.

De acordo com o estudo, o uso de bebida alcoólica e a adrenalina são fatores que motivam o jovem a exceder a velocidade ao volante, causa principal entre os mais graves acidentes. No ano passado, um grupo formado por 27 jovens com idades entre 16 e 25 anos participou da etapa do estudo em Goiânia. No encontro, embora apenas dois jovens tenham informado possuir Carteira Nacional de Habilitação, menos de 7,5%, sendo que 33% admitiram dirigir mesmo sem o documento, muitos deles menores de idade. Desses, 37% aprenderam a dirigir com os pais e 26% com amigos ou outros parentes.

Vítimas

Durante o mês de abril, um acidente ocorrido no Setor Sul, em Goiânia, teve como vítimas cinco adolescentes que voltavam de uma festa. Thiago, 18 anos*, que dirigia o carro, feriu-se gravemente e teve de permaner internado na unidade de terapia intensiva do Instituto Ortopédico de Goiânia. Outros quatro adolescentes que estavam com ele no carro também se feriram.

“Está absolutamente clara a anuência dos pais nesse comportamento”, analisa a Coordenadora Nacional da Pesquisa e Consultora da Volvo, a Pedagoga e Neurolingüista Nereide Tolentino. “Os pais estão facilitando a vida dos filhos, colocando-os em risco e isso é crime”, disse ao jornal “Popular”. Na avaliação da Pesquisadora, o desrespeito dos jovens à autoridade de trânsito, constatado durante o trabalho, também contribui para esse comportamento.

Fim de semana

Um dos resultados que chamaram a atenção de Nereide Tolentino foi o alto índice de jovens goianos envolvidos em acidentes no papel de motoristas. Trinta por cento deles, segundo o levantamento. O alarmante, nesse caso, é justamente o fato de que apenas um porcentual mínimo dos condutores era habilitado. Segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito em Goiás, um terço dos acidentes registrados em Goiânia no ano passado ocorreu nos fins de semana. Mais de 27% entre as 20 horas da noite e 7 horas da manhã, dias e horários em que é grande a circulação de jovens no trânsito, para ir ou voltar de festas e bares.

De acordo com estatísticas do Detran, 2.717 motoristas foram flagrados sem Carteira Nacional de Habilitação em 2006. Porcentual significativo, na avaliação do Comandante do Batalhão de Trânsito de Goiás, Coronel Carlos Antônio Borges, tendo em vista que trata-se de uma infração que necessita de abordagem da autoridade de trânsito. Conforme o Comandante, o efetivo limitado da Polícia Militar não permite que o Batalhão de Trânsito realize ações direcionadas especificamente aos jovens na saída de bares e festas visando prevenir que dirijam sob o efeito do álcool.

Mais da metade das pessoas mortas por causas violentas encaminhadas ao Instituto Médico-Legal de Anápolis, entre janeiro de 2003 e dezembro de 2005, teve algum teor de álcool encontrado no sangue coletado para realização de exame de dosagem alcoólica, revelou pesquisa realizada recentemente no Órgão. Do total de vítimas que tiveram algum teor de álcool encontrado no organismo, 71,63% morreram vítimas de acidentes de trânsito, comprovando que o consumo de álcool responde por número considerável de acidentes com morte.
Fonte: O POPULAR-GO
OBID