Estudo relaciona impulsividade e drogas

A relação entre impulsividade e o consumo abusivo de substâncias psicoativas serviu como base para um estudo da Psiquiatra Lisia von Diemen, do Centro de Pesquisas em Álcool e Drogas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, ligado ao Hospital de Clínicas. Analisando as entrevistas de 418 jovens entre 15 e 20 anos, do sexo masculino e moradores de Canoas, a especialista chegou à conclusão de que os adolescentes mais impulsivos tinham cerca de três vezes mais chance de apresentar abuso ou dependência de álcool ou drogas.

O estudo resultou na sua dissertação de mestrado. “Também pude avaliar a associação entre a idade do primeiro consumo e o abuso e dependência de álcool e drogas. O resultado foi que quanto mais cedo era relatado o primeiro consumo de bebida alcoólica, maior era a chance de apresentar no presente abuso ou dependência”.
Conforme a pesquisa, para cada ano mais tardio relatado como de início do consumo, diminui-se em 15% a chance do indivíduo apresentar problemas de abuso.

Segundo a Psiquiatra, uma das hipóteses é de que “o cérebro do adolescente está em maturação. Quanto mais precoce o consumo, mais afeta o desenvolvimento cerebral, principalmente nas áreas ligadas à impulsividade”. Dessa maneira, a situação se transformaria numa “bola de neve”, pois se o uso de drogas nos primeiros anos da adolescência está associado à impulsividade, esses jovens se tornarão mais impulsivos.

Psicólogo comunitário da Prefeitura de Novo Hamburgo Silvio Vasconcellos – que atende adolescentes que cumprem medidas sócio-educativas em liberdade – relatou que o estudo se confirma na prática. “Quanto mais cedo o jovem começa a consumir drogas, mais difícil é o tratamento”, comentou.

Segundo Vasconcellos, casos de adolescentes impulsivos exigem um acompanhamento sistemático. “Eles apresentam uma tendência forte de sofrerem uma recaída”, disse.
Autor: JORNAL DO COMÉRCIO-RS
Fonte: OBID