Os efeitos do exercício no ´desejo intenso´ de fumar, na abstinência e no afeto

Introdução

O exercício tem sido recomendado como suporte para parar de fumar, principalmente devido ao ganho de peso e o medo do ganhar de peso após a cessação do uso. Infelizmente, os estudos que procuraram avaliar os efeitos do exercício com este propósito mostraram efeitos diversos no parar de fumar.
O exercício também mostrou apresentar um papel importante no enfrentamento de sintomas decorrentes da retirada do tabaco (por exemplo: depressão, irritabilidade, ansiedade, déficit de atenção) e no desejo intenso de fumar (craving) que predispõe à recaída.
Este artigo faz uma interessante revisão de estudos sobre o tema a fim de verificar os efeitos agudos do exercício no desejo intenso de fumar (craving) e nos sintomas de abstinência entre aqueles que estão tentando parar fumar e entre fumantes temporariamente abstinentes.

Método

Os autores conduziram uma revisão sistemática através de buscas online nas principais bases de dados: MEDLINE (1992– Janeiro 2006), Sport Discus (1975– julho 2006), PubMed (1966– Janeiro 2006), Web of Science (1945– Janeiro 2006), EMBASE (1980– Janeiro 2006) e PsycINFO (1887– Janeiro 2006). Também foram utilizados os registros da Cochrane Tobacco Addiction Group e do banco de teses digital ETD Digital Library. Neste estudo foram incluídos todos os estudos que avaliam os efeitos agudos do exercício no desejo intenso de fumar ou nos sintomas de abstinência assim como no afeto, ou no comportamento de tabagistas temporariamente abstinentes ou que estavam tentando parar de fumar. A busca encontrou 14 estudos, destes, 12 compararam presença e ausência de atividade física e os dois restantes compararam intensidades diferentes de exercício. Três estudos adicionais foram excluídos desta revisão, porque o foco não estava nos sintomas de abstinência, no desejo intenso de fumar ou não examinava os efeito dos exercícios.

Resultados e Discussão

Esta revisão foi clara ao mostrar que nos 12 estudos comparando a atividade física com uma condição passiva houve melhora de pelo menos uma das variáveis estudadas.

CRAVING OU DESEJO INTENSO DE FUMAR

Nove entre dez estudos mostraram uma diminuição significativa no desejo intenso de fumar durante ou até mesmo após a atividade física. Andar de bicicleta com um índice de frequencia cardíaca de reserva de 40 a 60% por 5 minutos reduz o desejo de fumar comparado com andar de bicicleta com uma frequencia de 10-20%. (Frequência cardíaca de reserva (FCRes) é a diferença entre a freqüência cardíaca máxima e sua Freqüência cardíaca respiratória). Não se sabe se maiores períodos de exercícios apresentam os mesmos efeitos. Atividades físicas de baixa intensidade e duração mostraram reduzir episódios de craving.

SINTOMAS DE ABSTINÊNCIA

Oito em nove estudos comparando indivíduos em condição passiva e em atividade física mostram diminuição em pelo menos 2 dos sintomas de abstinência durante e após a atividade física.
Os estudos mostram que os efeitos do exercício são perceptíveis após períodos breves ou mais longos de abstinência.

Medidas de afeto e de humor

Um estudo não demonstrou redução na ansiedade após realização de atividade física, 3 estudos mostraram uma redução importante na ansiedade e melhora do humor no período da abstinência após prática de atividades físicas e um estudo demonstrou que a atividade física é capaz de diminuir afeto negativo (tristeza, raiva, angústia) mas não afeto positivo.

Conclusão

Esta revisão é de grande valia pois nos mostra que uma única sessão de exercícios físicos pode trazer efeitos agudos sobre o desejo intenso de fumar, sobre os sintomas de abstinência e afeto. A magnitude deste impacto sobre o comportamento de fumar é comparável ou até mesmo melhor que outras terapias, por exemplo a terapia de reposição nicotínica.

Adrian H. Taylor
Michael H. Ussher
Guy Faulkner
Sport and Health Sciences, University of Exeter, Exeter, UK,
Division of Community Health Sciences, St George’s University of London, Cranmer Terrace, London, UK
Faculty of Physical Education and Health, University of Toronto,Toronto, ON, Canada

Fonte:Site Álcool e Drogas sem Distorção (www.einstein.br/alcooledrogas)/Programa Álcool e Drogas (PAD) do Hospital Israelita Albert Einstein