Proibido uso de cigarro em espaços do Governo da Bahia

Fumar em repartições públicas agora é coisa do passado, pelos menos na Bahia. O decreto assinado, pelo Governador Jaques Wagner proíbe o uso de cigarros, charutos e cachimbos nas dependências físicas e veículos da administração direta do Estado. A medida foi anunciada durante a abertura do seminário Pacto da Saúde no Controle do Tabagismo, realizado no Centro de Atenção à Saúde Professor José Maria de Magalhães Netto.

A iniciativa marcou em Salvador as ações do Dia Mundial sem Tabaco, mas segundo o governador não faz parte de nenhuma campanha de “caçada” aos fumantes. “Não se trata de transformar o fumante em um pária da sociedade, mas de garantir a liberdade para quem não fuma de poder freqüentar ambientes livres da fumaça do cigarro”, afirmou Wagner. O próprio Governador sabe como é difícil largar o tabaco, pois já parou duas vezes.

A proibição deve trazer benefícios principalmente para os fumantes passivos, pessoas que convivem com outras que fazem uso do tabaco e seus derivados. Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, as mulheres que não fumam, mas são casadas com fumantes, possuem quatro vezes mais riscos de desenvolver câncer de pulmão ou sofrer um enfarte, do que as esposas de maridos não-fumantes.

Já para a saúde das crianças, cujos pais fumam dentro de casa, o impacto é ainda mais danoso, com aumento dos riscos de ataques de asma, bronquite e otites (inflamação do ouvido). O Presidente da Sociedade de Pneumologia da Bahia, o médico Guilhardo Fontes Ribeiro, alerta ainda para casos de mortes sem explicação de filhos de fumantes. “Não sabemos como ocorrem, mas as chances de uma criança ter morte súbita são duas vezes maiores se os pais fumarem diante dela”, explicou.

A ação vem acompanhada de uma campanha educativa envolvendo profissionais capacitados em 26 municípios e da oferta de tratamento para quem pretende parar de fumar. Atento às estatísticas do Instituto Nacional do Câncer – Inca, que indica a morte anual de 200 mil brasileiros em função do tabagismo, o motorista Carlos Braga é funcionário público estadual e, mesmo fumando há mais de 30 anos, acha acertada a decisão. “É bom para mim também, pois pelo menos vou deixar de fumar enquanto estiver trabalhando”, comemorou Braga.
Fonte: CORREIO DA BAHIA-BA -OBID