Saúde – Adolescente é a prioridade

Aproximadamente 2 bilhões de pessoas consomem bebidas alcoólicas em todo o mundo. As informações são da Organização Mundial de Saúde – OMS. No Brasil, um levantamento feito pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas – Cebrid/Unifesp em 2005, mostra que 12,3% das pessoas com idades entre 12 e 65 anos são dependentes do álcool. Os dados também revelam que os jovens estão consumindo bebidas alcoólicas cada vez mais cedo. O primeiro uso do álcool já é feito por adolescentes com 12 anos. Outro dado alarmante é que 65% dos jovens entre 12 e 20 anos estão envolvidos em agressões e acidentes em rodovias.

Para tentar reduzir os danos causados pelo consumo de bebidas em excesso, principalmente entre os jovens, e diminuir os casos de violência e criminalidade associados ao uso do álcool, o Governo Federal lançou, em 22/05, a Política Nacional sobre o Álcool. Ela traz 30 medidas que deverão ser tomadas pelo Executivo Federal e, em alguns casos, em parceria com os estados e os municípios.

Será divulgado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa um conjunto de regras para a propaganda de bebidas. O intuito é fiscalizar as campanhas publicitárias voltadas para os jovens que os induzem ao consumo. Já em junho, outras medidas incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento – PAC da Segurança Pública, ligadas a trânsito e direção, devem ser implementadas. A venda de bebidas será proibida nas faixas de domínio das Rodovias Federais. Essa estratégia será regulamentada, pois alguns municípios se urbanizaram ao longo das rodovias. O número de mortos em acidentes causados pelo álcool é alarmante: 53% dos cerca de 35 mil óbitos anuais.

Entrarão em vigor normas para o teste do bafômetro. Os condutores que estiverem sob a suspeita de dirigir alcoolizados e se recusarem a fazer o teste do bafômetro ainda assim poderão ser penalizados. Será admitida prova testemunhal para atestar que o motorista estava dirigindo sob efeito de álcool.

De acordo com o decreto que criou o plano, será ampliado o acesso ao tratamento no Sistema Único de Saúde – SUS para os usuários de álcool. A intenção é ampliar de 1,2 mil para 1,6 mil o número de unidades dos Centros de Atenção Psicossocial em todo o país. Dessas, 350 serão destinadas especialmente para o tratamento de dependentes de álcool e drogas. Ainda este ano, equipes do Programa Saúde da Família de alguns municípios atenderão os dependentes. Se a experiência der certo, será expandida para outras localidades.

Está prevista a capacitação de garçons para que proíbam a venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos e pessoas com sintomas de embriaguez.
Fonte: DIÁRIO DA TARDE-MG – OBID