Intervenções psicológicas podem estimular usuários de maconha a abandoar a dependência

O uso de drogas ilícitas é um grande problema, não apenas em saúde pública, mas também nos âmbitos sociais e legais. A utilização freqüente de substâncias tóxicas acarreta diversos malefícios para a saúde do usuário, elevando-se o risco de complicações associadas a reações de abstinência e ao próprio efeito da droga de abuso no organismo.

Um grupo de pesquisadores estadunidense escreveu um estudo na revista Addiction, em junho de 2007, no qual procuraram testar a efetividade de uma intervenção psicológica, na capacidade de modificar o comportamento de usuários de maconha, que vivenciaram conseqüências negativas devido a sua dependência. Participaram da pesquisa 188 adultos, de ambos os sexos, sabidamente dependentes de maconha.

Os resultados apresentados revelaram que a utilização de uma técnica psicológica de recordação do evento negativo, relacionado ao consumo da droga, foi capaz de diminuir o número de dias na semana destinados ao consumo da maconha, bem como de minimizar os sintomas de abstinência nos participantes.

Assim, os autores concluem que a intervenção psicológica de recordação das experiências adversas, associadas com o uso de maconha, apresenta um potencial significativo na modificação do comportamento dos usuários desta substância. Este fato contribui sobremaneira para estimular o dependente a abandonar o consumo da droga.
Fonte: UOL – OBID