Doping terá controle rigoroso

O controle de doping dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro será rigoroso. E representantes do Ministério dos Esportes e do Comitê Olímpico Brasileiro – COB prometem tornar público qualquer resultado que acuse o uso de substâncias proibidas. Ninguém será poupado.

Os atletas medalhistas da competição – ouro, prata e bronze serão submetidos a exames de urina no Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro – Ladetec, único na América Latina credenciado para fazer o serviço pela Agência Mundial Antidoping – Wada, sigla em inglês, e um dos 34 existentes no mundo.

Prova e contraprova serão apresentadas em até 48 horas do recolhimento da urina, que ficará a cargo do grupo de trabalho do professor Eduardo de Rose, um dos maiores especialistas do assunto no Brasil e Presidente da Comissão Médica da Organização Desportiva Pan-Americana – Odepa.

De Rose será o segundo responsável do alto escalação dos Jogos a ser informado dos casos de doping. O primeiro será o professor Francisco Radler de Aquino Neto, um ex-jogador de tênis e vôlei que passará, se for preciso, 24 horas enfurnado no laboratório ajudando a fazer as análises dos atletas para o doping. Ele é o responsável pelos exames nos Jogos do Rio. “Em média, teremos de 60 a 120 testes por dia, dependendo da programação das provas. Isso dará cerca de 1.500 amostras durante o evento. O Ladetec funcionará 24 horas por dia, com cerca de 130 profissionais se revezando”, explicou.

Os exames serão feitos às escuras, sem saber a quem pertence a urina em análise. Toda urina será submetida a dez procedimentos diferentes para indicar a suspeita de substâncias proibidas no organismo. Não haverá exames de sangue.

Mexicanos cortados

A Comissão Nacional de Esportes do México informou ontem que desligou três atletas por conta de problemas com o doping, detectados em exames de rotina.

Segundo o boletim, um dos cortados disputaria provas de atletismo, outro de pentatlo moderno e o terceiro participaria do levantamento de peso. Os nomes dos atletas cortados não foram divulgados.
Fonte: Jornal da Tarde – SP – OBID