Parar de fumar

Não importa se você fumou a vida toda ou mesmo se já tem doenças como câncer ou enfizema pulmonar: sempre é tempo de abandonar a dependência. Largar o cigarro a qualquer momento diminui o risco de doenças e contribui para o tratamento de quem já tem problemas de saúde. “Não existe idade para parar de fumar. Os riscos de adoecimento vão ser sempre reduzidos”, afirma o pneumologista Ricardo Meirelles, da divisão de controle do tabagismo do Instituto Nacional de Câncer – Inca.

O cigarro é um grande fator de risco para vários problemas comuns na terceira idade, como infarto, hipertensão e câncer de pulmão. Ao eliminá-lo, a pessoa fica mais protegida contra esses males. Estudos também comprovam que quem tem enfizema pulmonar, doença crônica que afeta principalmente os fumantes, deve largar o cigarro. “Assim, o paciente pára de colocar substâncias irritantes que pioram a doença. Mesmo sendo um problema sem cura, a estimativa e a qualidade de vida do paciente melhoram muito”, diz Meirelles.

O médico afirma ainda que portadores de câncer em qualquer órgão também se beneficiam abandonando a dependência. “Pesquisas mostram que isso aumenta o tempo de vida. A quimioterapia funciona melhor sem a nicotina, e a chance de ter um novo tumor diminui.”

Claro que, como as doenças relacionadas ao tabaco dependem do tempo que a pessoa fumou e da quantidade de cigarros consumidos, os mais velhos costumam ter mais chance de adoecer. Mas os benefícios de largar o cigarro vêm para pessoas de todas as idades -e alguns deles já podem ser sentidos de imediato. No dia seguinte, por exemplo, a pessoa ainda vai ter receptores de nicotina no cérebro, mas a nicotina e o monóxido de carbono já terão sido eliminados da corrente sangüínea. O olfato e o paladar melhoram, a resistência física aumenta e a pressão arterial normaliza.

Os efeitos também podem ser sentidos na pele: a velocidade do envelhecimento cutâneo, que aumenta com o fumo, diminui quando a dependência é abandonada

Fonte: FOLHA DE S.PAULO-SP – OBID