Professor elabora abc contra as drogas

A preocupação com o aumento do consumo de drogas ilícitas em todas as camadas da sociedade, levou o pesquisador José da Cunha Linhares, 60 anos, a elaborar o ABC contra as drogas, dispondo o seu trabalho em um painel que coloca para a visitação pública em espaços diversos. O ABC, de acordo com o autor, é uma ação voltada a divulgar medidas simples que podem ser adotadas pelos pais e educadores para afastar os jovens de drogas, com diálogo e carinho, ajuda e compreensão, atenção e respeito. Utilizando cada uma das letras do alfabeto, a idéia, conforme ele diz, tem o propósito de incentivar os questionamentos, debates e reflexões nas salas de aula, empresas, órgãos públicos, e junto a toda a sociedade sobre a gravidade da questão. JC Linhares, como é conhecido, é o idealizador do projeto Brasil Urgente.

Professor aposentado, Linhares é graduado em Direito pela Universidade Federal do Ceará – UFC e tem curso de especialização criminalística forense – Foresic Science, pela Universidade de Virgínia – Estados Unidos. O pesquisador também é graduado em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFC e tem curso de especialização pelo Department of the Treasure – Estados Unidos. O mais recente trabalho, o painel contra as drogas, já foi exposto na Escola Superior de Magistratura do Ceará, Tribunal de Justiça do Estado e Colégio Christus.

Paralelamente o painel leva aos que o visitam conselhos de incentivo ao cuidado com a saúde, a importância da escolha de boas companhias, o exemplo que pode ser dado pelos pais e sobretudo o diálogo entre pais e filhos e a harmonia que deve existir no lar. Decorado com figuras de corações entrelaçados, eles simbolizam sentimentos de amor e auto-estima. Conforme o autor, seu quadro simboliza o amor acima de tudo, dispondo de mais de 80 corações. Anteriormente o painel foi apresentando em exposições realizadas em nível nacional no Museu de Drogas da Academia Nacional de Polícia Câmara Legislativa do Distrito Federal, Congresso Nacional, Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, no Distrito Federal.
Fonte: O POVO-CE – OBID