Efeitos do alcoolismo no aparelho auditivo

Denotando-se o álcool como uma droga ototóxica – substâncias causadoras de efeitos nocivos ao aparelho auditivo (como zumbido, formas de deficiência auditiva e vertigem) – o alcoolismo pode causar modificações no aparelho vestibular (do qual fazem parte a cóclea, responsável pela audição, e o labirinto pelo equilíbrio). Estas alterações, além de prejuízos profissionais, psicológicos e sociais, acarretam na redução da capacidade de reagir a sons ambiente, na diminuição da comunicação efetiva com o meio e na alteração do equilíbrio corporal.

Artigo publicado pela Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, em 2007, teve o propósito de verificar as influências do alcoolismo no aparelho vestíbulo-coclear.

A população de estudo foi composta por 74 indivíduos, divididos em dois grupos: o grupo experimental com 37 freqüentadores dos Alcoólicos Anônimos da cidade de Santa Maria-RS e o grupo controle constituído por 37 indivíduos não alcoolistas. Todos os integrantes com mesma idade e sexo. Ambos foram divididos em dois subgrupos de acordo com a faixa etária, totalizando 4 subgrupos.

A coleta de dados deu-se por meio da anamnese composta por questões sobre alcoolismo, do exame otorrinolaringológico, avaliação audiológica básica e avaliação vectoeletronistagmográfica (exame com objetivo de analisar a função do labirinto e suas correlações com os demais órgãos e sistemas, dentre eles o sistema óculo-motor, o cerebelo e o tronco encefálico).

Os resultados mostraram que 67,57% dos indivíduos do grupo experimental apresentaram alteração na audiometria e 24,32% apresentaram alteração na vectoeletronistagmografia computadorizada. Nos indivíduos do grupo controle, 27,03% apresentaram audiometria alterada e 10,81% apresentaram resultados alterados na vectoeletronistagmografia computadorizada.

No estudo, ficou evidenciado que em todas as avaliações realizadas, os voluntários que fizeram uso abusivo do álcool obtiveram resultados inferiores aos indivíduos do grupo de controle. Diante disso, os autores concluíram que o álcool interfere na audição e no equilíbrio do indivíduo, causando efeitos prejudiciais no organismo e nas esferas social e profissional.

Texto resumido pelo OBID a partir do original publicado pela Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, São Francisco, Califórnia, 73(1): 116-122, 2007. ISSN 0034-7299. Editada pela Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia.
Autor: BELLE, M.; SARTORI, S. do A. e ROSSI, A. G.
Fonte: OBID