Narcóticos anônimos – Grupo Resgate de Marília investe em divulgação – SP

O Grupo Resgate de NA – Narcóticos Anônimos de Marília, São Paulo, promoveu em 04/08 uma divulgação das suas atividades em um evento para dependentes químicos, familiares, representantes de clínicas de recuperação e profissionais de saúde. Atualmente 12 pessoas integram a entidade e o objetivo é aumentar esse número.

A freqüência de pessoas é variável, já que o grupo é aberto. Porém, segundo um dos integrantes, F., que não pode ser identificado, apenas 12 se mantém assíduas. Os Narcóticos Anônimos se reúnem três vezes por semana no período noturno, tido como o pior para dependentes químicos. “À noite a nossa dificuldade é maior”, disse F.

De acordo com o integrante, a procura por ajuda é baixa, mesmo diante do alto uso de drogas no Brasil. Por essa razão, a entidade resolveu investir na divulgação para que interessados em se recuperar e deixar a dependência saibam que têm essa alternativa.

Em 04/08, o NA promoveu um evento de confraternização e apresentou o trabalho desenvolvido e os resultados que têm sido alcançados ao longo dos últimos cinco anos, desde que o grupo foi formado. Ele funciona como um apoio aos demais tratamentos. Não existe uma coordenação. Todos os membros participam expondo dificuldades e se apoiando mutuamente.

Ao comparecer em um dos encontros o dependente químico não assume o compromisso de integrar o grupo. “Convidamos as pessoas com dependência para que venham conhecer o trabalho. O único critério é o desejo de parar”, disse F.

O NA trabalha com total anonimato e 12 Passos que ajudam o dependente a se manter longe da dependência. O primeiro é reconhecer que se era impotente perante o álcool ou drogas e que o domínio da própria vida tinha sido perdido. O último é a junção de todos.

NA e AA

O AA – Alcoólatras Anônimos reconhece a existência apenas de uma doença presumivelmente chamada de alcoolismo. Já o NA reconhece a existência da dependência química, que apresenta o sintoma do uso de droga lícita e/ou ilícita. Os Narcóticos Anônimos consideram droga até o tranqüilizante, desde que sob uso abusivo e sem motivação médica comprovada.
Autor: Jornal da Manhã – SP
Fonte: OBID