Déficit de atenção e hiperatividade, estresse e problemas com álcool entre filhos de alcoolistas

O histórico familiar de alcoolismo – HFA, é definido pela literatura científica como sendo um fator de risco para o uso de drogas e problemas correlatos. Essa influência se dá pela ação do estresse a que os jovens com esse histórico familiar são submetidos. Um outro fator de risco para o uso de drogas que chama a atenção entre jovens é a ocorrência de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade – TDAH. Essa doença se caracteriza por sintomas em duas esferas principais: falta de atenção e hiperatividade-impulsividade. Entretanto, a interação entre os dois fatores é tema de poucos estudos na literatura.

Assim, especialistas buscaram investigar a importância da ocorrência de eventos estressantes como mediadores da relação entre HFA e transtornos relacionados ao uso de álcool. A pesquisa foi feita com 142 adolescentes com diagnóstico de TDAH e outro grupo de 100 adolescentes sem essa condição. A idade média da amostra foi de 15,2 anos, com 9,5 anos, em média, de escolaridade. Esses jovens foram acompanhados entre os anos de 1987 e 1995.

Foram também avaliadas situações de estresse vividas pela amostra de jovens. Como também, o consumo de álcool e a manifestação de sintomas de depressão de ao menos 1 dos pais foram avaliados.

Os autores constataram que 13% das mães e 37% dos pais preencheram os critérios para diagnóstico – segundo o DSM-IIIR, e o DSM-IV, de dependência de álcool durante algum momento da vida. Observou-se que entre os jovens com diagnóstico do transtorno, a mediação entre HFA, transtornos relacionados ao uso de álcool pela prole e estresse foi mais intensa. Ou seja, esses achados sugerem que o estresse parece ser mais impactante nos jovens com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade e que isto aumenta o risco de desenvolvimento de transtornos relacionados ao uso de álcool em jovens com histórico familiar de alcoolismo.

Por fim, os autores da pesquisa falam sobre as limitações do estudo, dando ênfase à falta de estudos mais completos sobre a relação entre estresse e envolvimento problemático de adolescentes com álcool. Entretanto, o estudo não levou em conta outras variáveis de influência sobre o estresse como, por exemplo, o afeto negativo.
Fonte: CISA – Centro de Informação sobre Saúde e Álcool