A maconha e a psicose

O uso de maconha, mesmo no contexto recreativo, pode trazer alguns problemas sérios para a saúde. Várias doenças têm sido associadas à droga, entre elas o câncer de pulmão. Um estudo do cientista T. Moore, da Universidade de Bristol, Inglaterra, publicado na revista Lancet avaliou o impacto do uso da maconha na saúde mental de adolescentes e adultos jovens.

Após seguimento prolongado, os jovens fumantes apresentaram risco 40% mais elevado de desenvolver distúrbios psicóticos, como a esquizofrenia, quando comparados com jovens que nunca experimentaram a maconha. Esse risco tinha relação direta com a dose consumida. Por exemplo, pessoas que fumaram maconha mais de cem vezes por ano tinham um risco dobrado – 200%, de psicoses graves.

Os cientistas alertam que os resultados deste estudo devem ser levados em consideração pelos médicos e pelas autoridades de saúde. Por outro lado, a pesquisa não conseguiu determinar claramente se a maconha causa esses quadros psicóticos. O mais provável, segundo os próprios pesquisadores, é que o uso de maconha aumente a chance de pessoas com tendência à psicose desenvolverem um quadro clínico intenso. A droga seria o “empurrão” que faltava para o jovem com predisposição entrar em crise esquizofrênica.
Fonte: CARTA CAPITAL – OBID